Competitividade portuária, 16 janeiro 2016
 
2017-01-16 às 15:42

INVESTIMENTO NO PORTO DE SETÚBAL VAI PERMITIR-LHE RECEBER OS MESMOS NAVIOS QUE LISBOA

«O porto de Setúbal, com estas intervenções que vão ser feitas, ficará com capacidade de acolhimento do mesmo tipo de navios que hoje vão ao porto de Lisboa», afirmou a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, numa sessão de apresentação da Estratégia para o aumento da Competitividade Portuária 2017/2026, em Setúbal.

«As dragagens para melhoria das acessibilidades marítimas no estuário do Sado, para possibilitar a entrada no porto de Setúbal de navios porta-contentores, deverão arrancar até ao final do ano», disse a Ministra.

Além das dragagens para aprofundar o canal de entrada e a bacia de rotação do porto de Setúbal até uma quota de 15 metros abaixo do nível do mar, está também prevista a melhoria dos acessos ferroviários à zona central do porto de Setúbal, que permitirá aumentar a receção e expedição dos atuais nove comboios por dia em cada sentido, para um total de 15 comboios por dia.

«Quer a Câmara Municipal, quer a Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, quer o Governo, estão de acordo e querem muito promover a construção de uma nova marina», afirmou Ana Paula Vitorino, ressalvando que «será necessário fazer um concurso público, no caso de haver mais do que um interessado na construção desta infraestrutura».

Questionada pelos jornalistas sobre o projeto da plataform multimodal do Barreiro, a Ministra disse que «ainda não há uma decisão definitiva do Governo sobre a construção desta infraestrutura portuária, mas - a ser construído - o futuro terminal não irá prejudicar a atividade do porto de Setúbal».

«Mesmo tendo em conta a eventual concorrência do novo terminal do Barreiro, o porto de Setúbal terá um crescimento de 60%. Sem o terminal do Barreiro, porventura, cresceria mais um pouco», concluiu.

Os principais objetivos para todos os portos do País são: promover o crescimento económico, criar novos postos de trabalho, captar mais investimentos a nível nacional e internacional, e aumentar a movimentação de cargas e a criação de condições para abastecimento de navios a GNL (Gás Natural Liquefeito).

 

Foto: Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino em sessão de apresentação da Estratégia para o aumento da Competitividade Portuária 2017/2026, Setúbal, 16 janeiro 2017 (Foto: Carlos Santos/Lusa)

Tags: competitividade, portos, infraestruturas, investimento