Espaços Ciência Viva vão «trazer mais ciência à escola» - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-03-07 às 18h24

Espaços Ciência Viva vão «trazer mais ciência à escola»

Primeiro-Ministro António Costa e Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, com alunos da escola secundária de Santa Maria Maior, Viana do Castelo, 7 março 2018
O Governo vai investir 1,5 milhões de euros na criação de uma rede nacional de espaços Ciência Viva nas escolas do País, anunciou o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, na assinatura do protocolo para a criação destes espaços, na escola secundária de Santa Maria Maior, em Viana do Castelo, no quadro do Roteiro Inovação na área da Educação.

Na cerimónia, que foi presidida pelo Primeiro-Ministro António Costa, e onde esteve também o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, o Ministro Tiago Brandão Rodrigues acrescentou que os espaços ou clubes Ciência Viva «vão ser infraestruturas de ciência, mas que também são ser infraestruturas das escolas».

Estes espaços vão «ajudar na articulação entre cientistas e ensino», pois «temos que trazer mais ciência à escola, temos que trazer mais cientistas à escola, temos que fazer também com que as nossas escolas participem nas experiências científicas», sublinhou.

António Costa e Tiago Brandão Rodrigues visitaram ainda uma exposição sobre Inovação do Ensino Profissional através de trabalhos dos alunos que integram conhecimentos de robótica e computação, entre outros, dando resposta a necessidades específicas de empresas 

Eliminar barreiras 

O Primeiro-Ministro António Costa afirmou que o Governo tem intenção de por termo a «uma discriminação que existe» no acesso dos alunos do ensino profissional ao superior, reiterando a intenção manifestada no debate quinzenal de 9 de janeiro de 2018, no Parlamento.

António Costa sublinhou que «ninguém é obrigado a ir para o ensino superior», mas «não temos o direito de criar barreiras indevidas a quem, querendo ir para o ensino superior não pode ir para o ensino superior porque tendo feito a via profissional encontra obstáculos que não são justos». 

O Primeiro-Ministro disse ainda que «ninguém deve ser obrigado a ter de escolher antes do tempo, e ninguém pode ser impedido de voltar a escolher quando, no seu tempo, quiser voltar a escolher», acrescentando que o objetivo é garantir igualdade de oportunidade a todos.

A jornada incluiu a visita à escola secundária de Rio Tinto, em Gondomar, na qual está a ser aplicado o projeto piloto de flexibilização e autonomia curricular

O Primeiro-Ministro e o Ministro da Educação estiveram ainda presentes na assinatura de um protocolo para reabilitar a escola secundária Alexandre Herculano, no Porto.