Saltar para conteúdo

Notícias

2019-05-29 às 14h31

«Políticas públicas na área do livro, leitura e tradução têm uma centralidade inquestionável»

Ministra da Cultura, Graça Fonseca, na cerimónia de inauguração da 89.ª Feira do Livro de Lisboa, 29 maio 2019
A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, afirmou que «as políticas públicas na área do livro, da leitura e da tradução têm uma centralidade inquestionável» para o Governo.

Durante a cerimónia de abertura da 89.ª Feira do Livro de Lisboa, a Ministra destacou um conjunto de medidas que o Governo implementou e vai continuar a implementar ao longo do mandato «com impacto nas diversas áreas desse trabalho em rede que é o livro, construído numa parceria entre autores, editores, livreiros e leitores».

Graça Fonseca destacou os programas de Apoio à Criação e Edição, seja através das Bolsas de Criação Literária, reativadas em 2017 após 15 anos de interrupção, seja através dos diversos prémios literários e de design implementados ou apoiados.

«Assim, com o objetivo de preservar, enriquecer e difundir o património bibliográfico português, fomenta-se a publicação de obras que contribuam para a diversificação da oferta cultural na área do livro», acrescentou.

A Ministra sublinhou que estas medidas devem ser acompanhadas por «uma estratégia concertada e integrada de promoção internacional da literatura em língua portuguesa». «Um aspeto fundamental desta estratégia é o programa de apoio à tradução de autores portugueses, destinado a todos os editores que publiquem em línguas estrangeiras obras de autores portugueses», acrescentou.

Graça Fonseca referiu também que a área de governação da Cultura vai estabelecer um protocolo tripartido com o Instituto Camões e a Imprensa Nacional da Casa da Moeda, que «permitirá a conceção, edição, publicação e divulgação do catálogo que servirá como uma mostra de literatura em língua portuguesa».

«Este catálogo consiste num livro, físico e digital, de publicação anual, composto por excertos traduzidos em inglês, espanhol e francês de obras de autores de língua portuguesa, para promoção e divulgação internacional do nosso património bibliográfico», afirmou.