Saltar para conteúdo

Notícias

2019-06-18 às 15h25

Política Cultural, Capacitação e Educação e Acesso são os eixos do Plano Nacional das Artes

Ministra da Cultura, Graça Fonseca, e Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, na apresentação da estratégia do Plano Nacional das Artes, Lisboa, 18 junho 2019 (Foto: João Bica)
A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, e o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, participaram na apresentação da estratégia do Plano Nacional das Artes que vai servir de base às atividades a desenvolver entre 2019 e 2024.

Elaborada pela estrutura de missão do Plano Nacional das Artes, composto pelo comissário Paulo Pires do Vale e os subcomissários Sara Brighenti e Nuno Pólvora, a estratégia está dividida em três eixos de intervenção: Política Cultural, Capacitação e Educação e Acesso.

«Um Projeto Cultural de Escola, um Índice de Impacto Cultural das Organizações ou a criação de uma Academia de cursos e formação para educadores e professores são algumas das medidas propostas» na estratégia do Plano Nacional das Artes, destaca um comunicado conjunto dos gabinetes da Ministra da Cultura e do Ministro da Educação.

O Índice de Impacto Cultural das Organizações vai «parametrizar e quantificar o impacto cultural das organizações (desde municípios a empresas privadas), promovendo e dando visibilidade ao contributo das artes e do património na qualidade de vida das comunidades».

Apoiar práticas artísticas e aproximar arte e património dos cidadãos

O plano propõe «valorizar projetos com as comunidades, apoiando práticas artísticas a desenvolver com escolas, comunidades especificas ou excluídas, aproximando a arte e o património dos cidadãos, em particular das crianças e jovens».

No âmbito do eixo Capacitação, o plano vai criar a Escola de Porto Santo, na Região Autónoma da Madeira, para promover o pensamento sobre políticas internacionais e nacionais das áreas da cultura e educação, além de possuir também um programa de residências para artistas e investigadores.

No que diz respeito à Educação e Acesso, o comunicado do Governo destaca o Projeto Cultural de Escola, «com a criação de um cargo de coordenador em cada agrupamento escolar ou estabelecimento de ensino, responsável por desenhar um programa cultural adaptado ao contexto, em parceria com as autarquias, as estruturas artísticas e a comunidade educativa».

«O Plano Nacional das Artes pretende robustecer as artes nas escolas como ferramenta para as várias disciplinas, propondo recursos pedagógicos que aproveitam as expressões artísticas para trabalhar conteúdos de Cidadania e Desenvolvimento», refere também o comunicado.

O Plano Nacional das Artes é uma iniciativa das áreas governativas da Cultura e da Educação e será desenvolvido em parceria com a administração local, entidades privadas e a sociedade civil, tendo como missão dar um lugar central às artes e ao património na formação ao longo da vida.