Inovação é crucial para melhorar a Administração Pública - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-02-21 às 15h06

Inovação é crucial para melhorar a Administração Pública

Primeiro-Ministro António Costa e Ministros da Presidência e Modernização Administrativa e da Economia observam robot móvel numa empresa, no âmbito da Iniciativa Inovação, Palmela, 21 fevereiro 2018
«Prosseguimos hoje com o Roteiro da Inovação, numa jornada dedicada à inteligência artificial aplicada ao desenvolvimento da sociedade e ao crescimento económico», disse o Primeiro-Ministro António Costa, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, em Almada.

O Primeiro-Ministro sublinhou que «a inovação é crucial para aumentar e melhorar a produtividade» numa dupla sessão sobre inteligência artificial e sobre a Ciência de dados e inteligência artificial na Administração Pública.

«Para que este processo de inovação tenha sucesso, não basta que a transferência de conhecimento se faça para o tecido empresarial, é também crucial que a transferência de conhecimento se faça para a Administração Pública. Uma Administração Pública com mais conhecimento, mais inteligente, será uma Administração Pública que presta serviços de melhor qualidade», afirmou ainda António Costa.

O Primeiro-Ministro disse também que «a reforma do Estado não é, como alguns pensam, um momento de big bang em que o Estado se transforma», mas «um processo continuado e que tem de ser imparável».

Centro de competências informáticas

Na segunda jornada do Roteiro Inovação, o Primeiro-Ministro anunciou que «amanhã mesmo, o Conselho de Ministros avançará para a criação de um segundo centro de competências» – o primeiro foi em serviços jurídicos – «de grande importância estratégica que tem a ver com os serviços informáticos».

Esta «é uma área em que a administração pública tem particulares dificuldades», «não porque o sistema universitário e politécnico não esteja a produzir quadros de excelente qualidade, mas porque a Administração Pública tem revelado manifesta dificuldade em ser capaz de competir com as ofertas que existem no setor privado para a contratação».

A única forma de responder a esta dificuldade «não é pulverizando e atomizando as clássicas capelinhas da Administração Pública», «mas é, pelo contrário, sendo capazes de concentrar em centros de competência onde possamos bater-nos com o setor privado para recrutar os melhores», disse.

António Costa acrescentou que «se nós queremos ter um Estado mais eficiente é essencial que o Estado não deixe de investir em si próprio», criando «centros de competências que permitam reforçar a capacidade de a Administração Pública agir e pensar».

O primeiro centro de competências foi criado «na área dos serviços jurídicos para que a Administração Pública se possa libertar da necessidade de contração externa», recordou o Primeiro-Ministro.

Carreiras na Administração Pública

Portugal precisa de ter Administração Pública «mais motivada», tendo, para isso, o Governo «reposto as condições remuneratórias» e ter conseguido «desbloquear a progressão de carreiras».

«Só numa Administração com carreiras pode existir motivação. É fundamental combater a precariedade na Administração Pública em todos os setores e, senhores reitores, senhores diretores de faculdades, também no ensino superior é fundamental combater a precariedade», sublinhou.

«Como ainda ontem recordava o Conselho Superior das Finanças Públicas, depois de no ano passado termos tido o maior crescimento deste século e termos tido uma acentuada quebra no desemprego ao longo dos últimos anos, hoje, para continuarmos a crescer temos que seguramente ou aumentar o nosso perfil demográfico ou aumentar a nossa produtividade», referiu António Costa.

Todavia, realmente, «precisamos de aumentar a nossa população e precisamos de aumentar a nossa produtividade», e para isso «a inovação é crucial», pois só através dela é possível aumentar e melhorar a produtividade, disse o Primeiro-Ministro.

Roteiro Inovação

António Costa fez esta intervenção no final de duas sessões consecutivas no âmbito do Roteiro Inovação, uma sobre inteligência artificial, e outra sobre Ciência de dados e inteligência artificial na Administração Pública, nas quais esteve também presente os Ministros da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, da Ciência,Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e da Economia, Caldeira Cabral.

Antes das sessões, o Primeiro-Ministro visitou a empresa de automação industrial Introsys, que concebe sistemas de controlo para robots industriais que fabricam produtos, nomeadamente para a indústria automóvel. 

A empresa, sediada em Palmela, criada em 2002, emprega 110 trabalhadores tem também outras áreas de atividade complementares ou decorrentes da robótica, estando presente em vários países. 

À tarde, o Primeiro-Ministro visitou projetos tecnológicos desenvolvidos entre as Escolas Superiores de Tecnologia e de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal, alunos e empresas, designadamente os laboratórios de mobilidade elétrica e de movimento humano.