«Estão criadas as condições para reforçar as relações» com a China - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-12-05 às 13h57

«Estão criadas as condições para reforçar as relações» com a China

Primeiro-Ministro António Costa e Presidente da República Popular da China, Xi Jinping, na conferência de imprensa conjunta no Palácio de Queluz, 5 dezembro 2018 (Foto: Mário Cruz/Lusa)
«Estão criadas as condições para reforçar as relações bilaterais do ponto de vista económico, da relação povo-a-povo e do ponto de vista cultural», afirmou o Primeiro-Ministro António Costa na conferência de imprensa conjunta com o Presidente da República Popular da China, Xi Jinping, que visita oficialmente Portugal durante dois dias.

António Costa sublinhou que Portugal e China deram «passos concretos no estreitamento das relações, manifestados pela diversidade dos documentos assinados e que mobilizaram não só entidades dos Governos, mas também das universidades, empresas e municípios».

Esta diversidade «demonstra bem como a relação entre Portugal e a China não é só uma excelente relação ao nível bilateral, entre Governos, mas também no conjunto da sociedade portuguesa».

17 acordos

Os 17 acordos assinados abrangem áreas como economia, comércio, cultura, ciência, tecnologia, exportação, ambiente, poder local, ensino, finanças e energia e o Primeiro-Ministro sublinhou «a importância da afirmação estratégica do papel de Portugal na articulação da iniciativa Uma Faixa, Uma Rota, com o conjunto da conectividade entre a Europa e a Ásia».

O Presidente chinês afirmou que, na reunião com o Primeiro-Ministro, se verificaram «amplos consensos» sobre as relações bilaterais – que se «encontram no seu melhor momento histórico» - e questões internacionais de interesse comum entre os dois países.

Xi Jinping sublinhou que «esta visita obteve resultados frutíferos e um grande sucesso», agregando «forças motrizes para o desenvolvimento da parceria global China-Portugal», consubstanciados nos acordos assinados, dos quais destacou o memorando de entendimento Uma Faixa, Uma Rota.

Diversificação de fontes de financiamento

António Costa realçou também o facto de «a agência de notação chinesa ter classificado a dívida portuguesa como elegível para a emissão de dívida em panda bonds (Renmimbi), o que é de interesse mútuo para a diversificação das fontes de financiamento da economia portuguesa, mas também para a colaboração na internacionalização do Renmimbi», amoeda chinesa.

A abertura de mercados na área agroalimentar, o reforço de investimentos em Portugal e os «novos investimentos de raiz a realizar por empresas chinesas em Portugal» também foram destacados por António Costa.

O Primeiro-Ministro afirmou ainda a importância do acordo que permitirá começar a produzir microssatélites em Portugal, através do STARLab: «Serão um primeiro passo de produção industrial mista que julgamos muito promissor relativamente a relações futuras».

«É neste sentido que vemos como muito importante ser enfatizada na declaração conjunta a colaboração que podemos ter no desenvolvimento de outas áreas industriais, designadamente na área da indústria automóvel e na mobilidade elétrica», acrescentou.

40 anos de relações diplomáticas

António Costa destacou igualmente que a visita do Presidente chinês ocorre num momento particularmente importante porque no próximo ano serão celebrados os 40 anos do restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países e os 20 anos sobre a devolução à China do território de Macau.

O Presidente Xi referiu também as quatro décadas de restabelecimento das relações diplomáticas, como um novo ponto para «aprofundar a nossa amizade e cooperação e elevar a nossa parceira estratégica global para um novo patamar».

Referindo o desenvolvimento da compreensão e apoio mútuo nas grandes questões mundiais, o Presidente chinês referiu a importância de «elevar incessantemente o nível de confiança mútua» e na partilha de ganhos para «explorar juntos terceiros mercados, aprofundar o intercâmbio nas áreas da economia, comércio, agricultura, educação, turismo, ciência e tecnologia, desporto e média, entre outras».

Xi Jinping afirmou ainda a importância de «reforçar o apoio e cooperação nas organizações internacionais, como a ONU, salvaguardar conjuntamente o multilateralismo, o comércio livre, promover a paz, o desenvolvimento, a estabilidade e a prosperidade mundiais».

O Primeiro-Ministro e o Presidente chinês estiveram reunidos em privado no Palácio de Queluz, no concelho de Sintra, tendo-se seguido a reunião das duas delegações, a assinatura de acordos, a declaração à imprensa e um almoço de Estado oferecido pelo Primeiro-Ministro ao Presidente chinês, que encerrou a visita oficial de dois dias a Portugal.