«É imperioso mudar a forma como olhamos para o envelhecimento» - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-01-31 às 17h15

«É imperioso mudar a forma como olhamos para o envelhecimento»

Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, na 56.ª sessão da Comissão para o Desenvolvimento Social da ONU, Nova Iorque, 31 janeiro 2017
O Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, defendeu hoje - em Nova Iorque - a Declaração de Lisboa «A Sustainable Society for all ages: Realizing the potencial of living longer», assinada em Lisboa, em setembro de 2017. 

Perante os países membros das Nações Unidas, Vieira da Silva lembrou que a rápida transformação da economia e os novos riscos inerentes obrigam a novas respostas, «respostas que têm de ter em conta uma nova abordagem sobre o envelhecimento. É imperioso mudar a forma como olhamos para o envelhecimento, dissipando estereótipos e atitudes tanto na sociedade como nas empresas e nas organizações», disse.  

«O envelhecimento da população não pode ser visto como um fardo para a sociedade. Pelo contrário, temos de reconhecer o seu potencial para o crescimento da economia e para uma sociedade inclusiva. E este desafio está ainda longe de ser reconhecido e posto em prática», acrescentou.  

A Declaração de Lisboa sublinha o envelhecimento ativo como um tema que será transversal aos países na implementação da Agenda 2030 para Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, destacando a ligação entre a saúde, a erradicação da pobreza, a educação, o emprego, a igualdade de género e a inclusão no desenvolvimento urbano. 

Os 56 países que subscreveram a declaração ministerial propõe-se alcançar três prioridades até 2022:

- Reconhecer o potencial da pessoa idosa;
- Encorajar o envelhecimento ativo;
- Garantir um envelhecimento com dignidade.