«Todos perderemos com o Brexit» mas devemos reduzir os seus efeitos negativos - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-10-31 às 14h40

«Todos perderemos com o Brexit» mas devemos reduzir os seus efeitos negativos

Ministro dos Negócios Estrangeiros na conferência «Brexit: Consequências para a economia e empresas portuguesas»
«Todos perderemos com o Brexit», afirmou o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, na apresentação de um estudo da CIP, Confederação Empresarial de Portugal, sobre as consequências económicas da saída do Reino Unido da União Europeia.

O Ministro acrescentou que importa «proceder de forma a que os seus efeitos sejam o menos negativos possível», através de uma saída «acordada e ordenada», baseada no acordo que está ainda a ser negociado.

Santos Silva salientou que tanto Portugal como a UE «tudo têm feito para assegurar esse acordo», que está «muito perto» de ser alcançado.

Ao acordo, seguir-se-á a negociação da futura relação económica e comercial da União Europeia com o Reino Unido que passará por um acordo de comércio livre e de investimento, disse.

«O acordo que queremos», afirmou, é um que «que reduza tudo o que puder reduzir em matéria de tarifas, em matéria de barreiras não alfandegárias, e promova tudo o que poder promover em matéria de circulação de serviços e de abertura de mercados públicos».

Depois de estabelecida a relação económica futura, será negociado um acordo político bilateral que, dada «a ligação história e presente muito profunda», «demoraria poucos dias a acertar».

Este acordo deve evitar qualquer barreira à circulação e consagrar «salvaguarda integral dos direitos dos residentes» e o «aproveitamento do potencial das comunidades» portuguesa no Reino Unido e britânica em Portugal, «mobilizando, designadamente, afinidades como países atlânticos» e muito antigos aliados.

Santos Silva destacou ainda a importância de o acordo bilateral incluir a manutenção da cooperação em matéria de segurança e de defesa.