Saltar para conteúdo

Notícias

2019-08-31 às 0h04

Seis centenas de novas camas para estudantes do ensino superior disponíveis no início de setembro

Mais 595 novas camas já estão disponíveis em todo o País para os estudantes do ensino superior, representando um aumento de 4% face ao ano letivo anterior. Passa a haver 15 965 camas quando havia 1 5370 no ano letivo 2017/2018. 

Este reforço no alojamento para estudantes do ensino superior deve-se a um esforço conjunto desenvolvido no âmbito do Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior que envolve pousadas da juventude, infraestruturas militares, dioceses e misericórdias, entre outros parceiros. Simultaneamente, estão em curso várias outras ações, nomeadamente das instituições de ensino superior e das autarquias, que permitirão aumentar este número. 

Estas novas camas refletem um aumento inédito na oferta do alojamento para estudantes a preços regulados, designadamente de 19% no Porto e de 11% em Lisboa, permitindo responder no imediato a necessidades de alojamento, enquanto decorrem obras de remodelação de imóveis públicos ao abrigo do Fundo Nacional de Reabilitação do Edificado, e as iniciativas das instituições de ensino superior e das autarquias. 

Nos últimos 4 anos mais de 1 400 novas camas tinham sido disponibilizadas a preços regulados, para estudantes do ensino superior, permitindo inverter a tendência verificada até 2015.

Entretanto, no âmbito do Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior, foram iniciados vários processos de obras de remodelação de imóveis públicos, estando previstas, ainda em 2019, várias obras que permitirão disponibilizar mais 3200 camas. 

As obras em curso e a iniciar até ao final de 2020, permitirão que, nesse ano, estejam disponíveis mais 2500 camas, enquanto em 2021 estarão disponíveis mais 2700 camas. Estes dados evoluirão de acordo com a execução do PNAES, que tem como objetivo para os próximos 4 anos aumentar em 12 mil a oferta do número de camas em todo o País. 

O PNAES é uma estratégia nacional que visa duplicar na próxima década a atual oferta de alojamentos para estudantes do ensino superior a preços regulados, aumentando essa oferta para 30 mil camas até 2030. 

Este plano envolve as instituições de ensino superior e as autarquias, para além de outras entidades, incluindo pousadas da juventude, infraestruturas militares, dioceses e misericórdias.