Reposição das matas públicas deve ser «objetivo político nacional» - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-11-14 às 13h53

Reposição das matas públicas deve ser «objetivo político nacional»

O Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, afirmou que a reposição das matas públicas deve ser encarada como «um objetivo político nacional», durante a apresentação do programa ClimAgir na Mealhada.

Miguel Freitas destacou a importância das florestas na prevenção e combate das alterações climáticas, sobretudo quando agem como «único sumidouro» dos 60 milhões de toneladas anuais de carbono libertadas para a atmosfera em Portugal.

Anualmente, a floresta portuguesa absorve 10 milhões de toneladas. O Secretário de Estado referiu o objetivo de conseguir aumentar este valor e acrescentou que as matas «foram a primeira barreira à entrada do Leslie no continente, protegendo as populações».

Miguel Freitas sublinhou a necessidade de repor a mancha florestal, de ordenar as matas e de melhorar a gestão destes espaços "não apenas para preservar mas também para criar riqueza".

O programa da Comunidade Intermunicipal Região de Coimbra destina-se a sensibilizar os mais jovens para as consequências das alterações climáticas e fomentar a floresta autóctone e tem um apoio de mais de 200 mil euros de fundos comunitários.

O ClimaAgir vai incidir sobretudo nas escolas dos 19 municípios que integram a Comunidade Intermunicipal Região de Coimbra: Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Lousã, Mealhada, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Mortágua, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Soure, Tábua e Vila Nova de Poiares.