Provas finais do 9.º ano e exames finais nacionais do Ensino Secundário - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-08-03 às 22h14

Provas finais do 9.º ano e exames finais nacionais do Ensino Secundário

A 2.ª fase das provas finais de ciclo do 9.º ano de escolaridade decorreu, de forma regular, em 1245 escolas de Portugal Continental e Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, bem como nas escolas no estrangeiro com currículo português.

Nesta 2.ª fase das provas finais de ciclo do 9.º ano de escolaridade foram realizadas 6671 provas, sendo 3456 provas de Português (91) e 3046 provas de Matemática (92). As provas finais de ciclo do 9.º ano de escolaridade da 2.ª fase foram classificadas por 375 professores classificadores.

A 2.ª fase das provas finais de ciclo do 9.º ano de escolaridade destinou-se aos alunos que se encontravam em situação de não aprovação no ciclo. Assim, os alunos que tiveram acesso à 2.ª fase das provas finais são, naturalmente, os alunos que demonstraram maiores dificuldades ao longo do ano letivo, sendo as médias das classificações das provas finais de Português (91) e de Matemática (92) mais baixas, relativamente aos resultados da 1.ª fase.

Exames finais Nacionais do Ensino Secundário

A 2.ª fase dos exames finais nacionais do ensino secundário decorreu, de forma regular, em 641 escolas de Portugal Continental e Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, bem como nas escolas no estrangeiro com currículo português.

Nesta 2.ª fase dos exames finais nacionais foram realizadas 115 021 provas. Observa-se, portanto, uma diminuição do número de provas realizadas na 2.ª fase relativamente ao ano transato, que foi de 120 866 provas. Os exames finais da 2.ª fase foram classificados por 4102 professores classificadores.

As disciplinas que registaram um maior número de provas realizadas na 2.ª fase foram Matemática A (639), com 23 265 provas, logo seguida pelas disciplinas de Português (639), com 21 558 provas, Física e Química A (715), com 20 963 provas, Biologia e Geologia (702), com 19 963 provas.

Relativamente ao ano anterior, verifica-se uma diminuição significativa do número de provas realizadas na 2.ª fase a Física e Química A (715) e a Biologia e Geologia (702), em cerca de, respetivamente, 2 400 e 2 800 provas, o que se encontra em linha com o aumento da média das classificações destes exames na 1.ª fase e a correspondente descida nas taxas de reprovação.

No caso da Matemática (635) verifica-se alguma estabilidade no número de provas realizadas, também reflexo da baixa variação da média das classificações na 1.ª fase.

Verifica-se que 51,2% dos alunos que realizaram exame nacional de Matemática A (635) na 1.ª fase repetiram o exame na 2.ª fase. No caso das disciplinas de Física e Química A (635) e de Biologia e Geologia (702), esta percentagem foi de, respetivamente, 48% e 44,7%.

Por regra, os resultados da 2.ª fase são inferiores aos da 1.ª fase, no entanto, ao contrário dos anos transatos, os exames da 2.ª fase de algumas disciplinas apresentam resultados superiores aos observados na 1.ª fase.

Os dados relativos às taxas de reprovação dos alunos internos, nesta 2.ª fase, mostram-nos que uma significativa percentagem dos alunos internos que não tinham conseguido obter aprovação na 1.ª fase dos exames nacionais conseguiu agora a respetiva aprovação.

Sobre esta matéria salientam-se as disciplinas de História e Cultura e das Artes (724), com 91% de taxa de aprovação de alunos internos, bem como de Biologia e Geologia (702) e de Geometria Descritiva A (708) com, respetivamente, 90% e 89%.
Tags:
educação
Áreas:
Educação