Saltar para conteúdo

Notícias

2019-03-23 às 16h39

Primeiro-Ministro reafirma importância da prevenção contra incêndios

Primeiro-Ministro, António Costa, durante uma visita para acompanhar os trabalhos de ação e de sensibilização para a prevenção de fogos rurais, Sardoal, 23 março 2019 (Foto: Paulo Vaz Henriques)
«Temos de ter consciência que o grande esforço que tem de ser feito é na prevenção dos incêndios florestais», afirmou o Primeiro-Ministro, António Costa, numa ação de sensibilização para as práticas de prevenção de incêndios, no Sardoal.

O Primeiro Ministro sublinhou «a importância de os autarcas assumirem como sua esta causa e ajudarem a mobilizar toda a comunidade para que torne o território mais resistente» ao fogo.

E exemplificou o com o caso do Sardoal, onde a comunidade local interiorizou de tal forma esta causa que quase não houve coimas por falta de limpeza dos terrenos em 2018.

«Este é um sinal da consciência das pessoas para a sua proteção e dos seus bens, pela limpeza das propriedades, a criação das faixas de gestão e interrupção de combustíveis», acrescentou.

António Costa realçou também a importância da «criação de uma faixa de proteção de 100 metros em volta das aldeias, a par do cultivo de espécies resistentes ao fogo», de que são exemplo as plantações de figueiras da índia, oliveira ou medronheiros.

Reduzir o risco de incêndio

«O grande esforço tem de ser feito, não no dispositivo de combate, mas neste investimento na prevenção», disse ainda o Primeiro-Ministro, acrescentando que, «se o País se continuar a mobilizar, vamos continuar a conseguir ter, nos próximos anos, cada vez menor risco de incêndio e melhores resultados ainda do que em 2018».

«Os bons resultados não devem esquecer que a ameaça existe. O que significa é que os bons resultados devem motivar-nos a fazer ainda mais o trabalho de prevenção que se faz no outono, no inverno, e na primavera», concluiu.