Saltar para conteúdo

Notícias

2019-07-24 às 14h04

«Precisamos de mais comboios e de um País a apostar na ferrovia»

Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, durante a visita da EMEF em Guifões, Matosinhos, 24 julho 2019 (Foto: Estela Silva/Lusa)
O Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, destacou a importância do trabalho de reparação de composições nas oficinas da EMEF – Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário para garantir a recuperação da qualidade de serviço da ferrovia em Portugal.
 
«Temos este pavilhão vazio e o que vamos fazer é reequipá-lo e trazer para cá as dezenas de comboios que temos encostados pelo País, para recuperar e reintroduzir na rede ferroviária. Precisamos de mais comboios e de um País a apostar na ferrovia», disse o Ministro durante a visita à oficina em Guifões, Matosinhos.
 
Pedro Nuno Santos sublinhou que é necessário «recuperar a capacidade oficinal para a EMEF, não só em termos de pessoal, mas também em capacidade de oficina», acrescentando que esta é a melhor alternativa para agir rapidamente e melhorar o serviço até chegarem 22 novos comboios em 2023.
 
«Esta foi a forma mais inteligente que encontrámos, uma vez que se tinha cometido o erro de se ir encostando o material circulante ao longo de vários anos, num País que não é propriamente muito rico», afirmou.
 
Progressivamente, as «dezenas de unidades encostadas entre locomotivas, automotoras e carruagens» vão ser reintroduzidas na rede ferroviária e permitir alargar a oferta da CP ao longo dos 18 meses previstos para a recuperação.

O Ministro esteve acompanhado pelo Secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, e pelo novo conselho de administração da CP, liderado por Nuno Freitas.