Saltar para conteúdo

Notícias

2019-07-02 às 17h42

Portugal quer captar investimentos que utilizem novo cabo submarino da Google

O Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, afirmou que o Governo quer captar investimentos que utilizem a mais-valia do novo cabo submarino da Google que liga África do Sul a Portugal com passagem pela Nigéria.

Eurico Brilhante Dias referiu que «este projeto dá a Portugal uma valência adicional para captar investimento na área das tecnologias de informação e tratamento de dados, que permite também gerar emprego muito associado à engenharia de sistemas, de telecomunicações e matemáticos».

O projeto Equiano «significa para Portugal mais modelos de negócio baseados em talento e gente qualificada, e que utilizem aquele cabo, que leva e traz dados, muito importantes na economia digital», disse o Secretário de Estado em declarações à Lusa.

O membro do Governo realçou que este é um investimento da Google e sublinhou que a empresa escolheu Portugal sem recurso a incentivos fiscais. «Mas o que gostaríamos era que mais empresas portuguesas pudessem participar nesse investimento. Sabemos que, em princípio, o território nacional tem dois locais de amarração e que terão necessariamente trabalho para empresas portuguesas», acrescentou.

Eurico Brilhante Dias frisou também que esta infraestrutura «vem reforçar a centralidade de Portugal na relação das comunicações com África», destacando que deve estar concluída em 2021, num período em que as relações entre a Europa e a África vão ser tema central.

Multiplicidade de negócios

O Secretário de Estado reiterou que o novo cabo traz possibilidades de mais investimento e de desenvolvimento de novos modelos de negócio para Portugal.

«Estes negócios, multiplicando-se por 20 as comunicações, podem trazer-nos todo um ecossistema. Para termos uma ideia, um centro de dados de dimensão média pode gerar 300 postos de trabalho. Aquilo que sabemos é que todos os negócios à volta dos dados são intensivos em engenheiros, muita gente ligada ao tratamento de dados, matemáticos e, ao mesmo tempo, pilares de grandes multinacionais que acumulam e transmitem dados. O potencial de geração e trabalho nesta área é muito elevado», disse.