Saltar para conteúdo

Notícias

2019-05-20 às 15h21

Portugal e Angola reforçam cooperação na economia do mar

Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, com Ministra das Pescas e do Mar de Angola, Maria Antonieta Baptista, Lisboa, 20 maio 2019
Portugal e Angola reforçaram a cooperação na economia do mar, atráves de um memorando que foi assinado em Lisboa, pela Ministra do Mar de Portugal, Ana Paula Vitorino, e pela Ministra das Pescas de Angola, Maria Antonieta Baptista, no final do fórum «Empresários portugueses e angolanos juntos para uma cooperação sustentável do Mar».
 
Numa declaração à comunicação social, Ana Paula Vitorino destacou o facto do novo acordo prever «a cooperação em todas as áreas do mar» como as pescas, a aquacultura e a transformação do pescado.
 
«Por um lado teremos, ao nível do setor público, cooperação na formação e, ao nível do setor privado, daremos todo o apoio para que possam ser estabelecidas parcerias entre empresários angolanos e portugueses, com a possibilidade de criar empresas mistas», disse a Ministra.
 
Segundo Ana Paula Vitorino pretende-se, com este acordo, «criar mais oportunidades de negócio para o setor das pescas e transformação de pescado, mas também contribuir para o crescimento da economia do mar em Angola e Portugal».
 
Destacando o facto desta cooperação traduzir-se num «incentivo ao setor privado» - e na inserção de angolanos nos programas de investigação técnico-científica e formação em Portugal - a Ministra afirmou que esta iniciativa terá um orçamento de 5 milhões de euros.
 
Ana Paula Vitorino disse também que vai ser assinado, ainda este ano, um memorando semelhante com Cabo Verde para estender a cooperação às «energias renováveis oceânicas e ao setor portuário».
 
A Ministra das Pescas e do Mar angolana, por sua vez, destacou a importância de todas as vertentes contempladas no acordo agora assinado, numa altura em que Angola está a «lançar um novo paradigma» do setor das pescas e do mar.
 
«Portugal pode dar-nos uma grande contribuição em termos de investigação científica, nomeadamente no estudo da biomassa e biodiversidades, mas também no estudo da frota, que se faz necessário», disse Maria Antonieta Baptista.
 
Sublinhando também a importância da formação contínua no setor da economia do mar, a Ministra angolana apelou aos empresários portugueses para apostarem em Angola.
 
«Angola é um gigante adormecido em termos de pescas. Toda a gente conhece a biodiversidade dos mares de Angola, é uma questão de repaginar o tipo de investimento sempre tendo em conta a empregabilidade dos angolanos», disse ainda, acrescentando que o seu país «está à altura de de receber os empresários portugueses para tornar Angola um grande potencial em termos de pescas».
 
O memorando tem a duração de quatro anos.
Tags: pesca, mar, economia
Áreas:
Mar