Saltar para conteúdo

Notícias

2019-03-18 às 12h18

Programa de Redução Tarifária é um instrumento de apoio às famílias

Criado o passe único metropolitano que entra em vigor a 1 de abril
«A redução dos preços no transporte público em todo o País não só é uma necessidade, como uma boa ideia», afirmou Ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, na cerimónia de assinatura dos contratos interadministrativos de delegação e partilha de competências relativos aos novos tarifários de transporte na área metropolitana de Lisboa.

«A partir de 1 de abril, 85% da população beneficiará da redução do tarifário nos transportes coletivos e, a 1 de maio, 100% da população portuguesa terá esse benefício», acrescentou o Ministro, exemplificando: «Em Leiria, em Braga, em Guimarães, no Algarve, os passes vão reduzir-se entre 40% e 50%».

João Pedro Matos Fernandes disse ainda: «Os apoios dividem-se da seguinte forma: 82% correspondem a uma redução generalizada do tarifário, 13% destinam-se a públicos específicos e 5% ao apoio à criação de passes família».

Objetivos do PART

«Esta é a mais significativa alteração que ocorre em todo o País, com o apoio de todas as autarquias, em favor da utilização do transporte coletivo», referiu também o Ministro na sessão em que discursou também o Primeiro-Ministro António Costa.

João Pedro Matos Fernandes sublinhou que o Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART) é «um instrumento de apoio às famílias onde elas existem, indo ao encontro dos seus hábitos de mobilidade, e que pretende garantir que nunca serão as razões financeiras a impedir as pessoas de optar pelo modo coletivo em detrimento do individual».

«Aqui, a aposta é simples nos seus propósitos: garantir o aumento da procura dos transportes coletivos, tornando-os acessíveis a toda a população; melhorar as condições de mobilidade quotidiana no País e, particularmente, nas grandes cidades; descarbonizar os transportes e, por essa via, descarbonizar o país, Portugal», concluiu.