Saltar para conteúdo

Notícias

2019-07-24 às 16h41

Novo sistema de videovigilância aumenta «capacidade de apoio à decisão» no combate aos incêndios

O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, afirmou que é fundamental apostar em instrumentos de videovigilância para «aumentar a capacidade de apoio à decisão» e o combate aos incêndios rurais.
 
Eduardo Cabrita falava durante a inauguração, na Guarda, de um sistema de videovigilância para deteção de incêndios rurais no território da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE), denominado Sarado (Sistema de Acompanhamento Remoto e Apoio à Decisão Operacional).
 
O Ministro referiu-se a este sistema como um instrumento que permite que o combate aos incêndios possa ser feito de imediato, reduzindo o risco» e a probabilidade de atingirem uma «grande dimensão».
 
Eduardo Cabrita adiantou que estão já, em fase adiantada, os trabalhos para o alargamento de sistemas semelhantes ao Algarve, a Coimbra, a Viseu Dão-Lafões, ao Tâmega e Sousa, ao Alto Minho, às áreas metropolitanas de Porto e Lisboa.
 
Para o Ministro, o papel das autarquias tem sido fundamental nesta parceria que representa cerca de 10 milhões de euros de investimento provenientes de fundos europeus e que o Governo «decidiu canalizar para esta prioridade» nacional.
 
O Sarado foi lançado em 2018 e representou um investimento superior a 900 mil euros, tendo sido apoiado pela União Europeia, no âmbito de uma candidatura apresentada pela CIM-BSE, com sede na mesma cidade.
 
Atualmente,  são abrangidos por este sistema 15 municípios, 12 deles no distrito da Guarda Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Gouveia, Manteigas, Meda, Pinhel, Seia, Sabugal e Trancoso) e três do distrito de Castelo Branco (Belmonte, Covilhã e Fundão).
 
Em concreto, o Sarado consiste na colocação de 17 torres com câmaras de vigilância com alcance de mais de 30 quilómetros, que cobrem a quase totalidade do território da Comunidade Intermunicipal e estão ligadas a centros de gestão e controlo, localizados na Guarda e em Castelo Branco.