Novo curso de formação para 600 agentes da PSP - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-11-23 às 15h43

Novo curso de formação para 600 agentes da PSP

Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, no encerramento do 14.º curso de formação de agentes da PSP, Torres Novas, 23 novembro 2018
O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, afirmou que foi aberto um novo curso de formação de agentes da PSP com 600 vagas, refletindo a «decisiva» aposta na renovação da polícia.

Em Torres Novas, no encerramento do 14.º curso de formação de agentes da PSP que incluiu quase 400 elementos, Eduardo Cabrita destacou que este novo concurso é «um dos maiores dos últimos tempos» e representa um aumento de 50% face ao anterior.

O Ministro referiu que a formação de centenas de novos elementos em 2018 e 2019 é justificada pelos «novos elementos tecnológicos e novas condições de apoio ao exercício de funções».

Eduardo Cabrita sublinhou ainda que em 2018 houve «o maior volume de promoções dos últimos anos», com cerca de 2500 elementos a passarem para o nível remuneratório seguinte e com mais de 15000 polícias a beneficiaram do descongelamento de carreiras.

«Nas três categorias, mais de 18 000 elementos beneficiaram este ano de alterações no estatuto profissional», acrescentou.

Os 400 novos elementos agora formados, 60 deles mulheres, vão começar a ser colocados por todo o País a partir da próxima semana.

Cooperação com poder local para aumentar eficácia na resposta

O Ministro disse também que o Governo está a negociar com as autarquias para garantir a «redefinição da resposta, sobretudo nas áreas de maior densidade populacional».

Esta alteração vai permitir «usar melhor os efetivos nas áreas urbanas mais significativas, dando uma maior eficácia na resposta».

Eduardo Cabrita afirmou que o investimento até 2021, tanto em infraestruturas como equipamentos, vai atingir os 450 milhões de euros, representando «o maior volume de investimento de sempre».

O Ministro destacou as 70 instalações atualmente em projeto ou já em obra e as cerca de 700 viaturas que entrarão em funcionamento no próximo ano, além do investimento, «também muito significativo, em armamento, em equipamentos de proteção individual e em apoio tecnológico».