Novo contrato de 100 milhões de euros com o FEI para capitalização das empresas - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-12-05 às 18h51

Novo contrato de 100 milhões de euros com o FEI para capitalização das empresas

Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, na assinatura do novo programa Portugal Tech com o Fundo Europeu de Investimento, Lisboa, 5 dezembro 2018
O Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, afirmou que a assinatura do novo programa Portugal Tech com o Fundo Europeu de Investimento (FEI) «é um instrumento que se enquadra na estratégia do Governo para a capitalização das empresas».

Em Lisboa, na cerimónia de assinatura, o Ministro referiu que este programa de 100 milhões de euros «é um marco importante, uma vez que permite ter um instrumento com grande abrangência, quer em termos de dimensões de empresas, desde as startups às PME, quer em termos de setores que podem receber investimento».

O Portugal Tech consiste numa parceria entre a área de governo da Economia e o FEI com vista ao investimento em startups e PME portuguesas, por via da seleção de fundos de capital de risco que, posteriormente, investirão nas empresas.

Ao protocolar este instrumento, permite-se que as empresas tenham acesso a um novo mecanismo de capitalização através de capital de risco, compreendendo que estas são o grande motor de dinamização da economia.

Assim como o FEI, a Instituição Financeira de Desenvolvimento alocará 50 milhões de euros a este programa, com esta componente a ser assegurada pelo IAPMEI. Além deste montante global de 100 milhões de euros, o programa pretende mobilizar mais entre 40 e 100 milhões adicionais provenientes de investidores de capital de risco.

A cerimónia foi presidida pelo Ministro Adjunto e da Economia e contou com a presença do Diretor Executivo do Fundo Europeu de Investimento, Pier Luigi Gilibert e do Chefe de Divisão do Fundos Estruturais e Fundos de Fundos, Pablo Millán.

Para Henrique Cruz, presidente executivo da IFD, «a parceria Portugal Tech funcionará como um complemento aos Instrumentos Financeiros já disponíveis no mercado e vem compensar a quebra do investimento em capital de risco que ocorreu desde 2011». «Além disso, este instrumento beneficiará da longa experiência do Fundo Europeu de Investimento na seleção de operadores de capital de risco eficazes, com resultados provados», acrescentou.

A 5 de novembro, o Primeiro-Ministro António Costa afirmou que este o programa Portugal Tech já envolveu 230 milhões de euros desde a sua criação.