Nova linha de incentivos à internacionalização via comércio digital - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-05-21 às 16h06

Nova linha de incentivos à internacionalização via comércio digital

Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, na apresentação do programa Exportar Online, Porto, 21 maio 2018 (Foto: Fernando Veludo/Lusa)
«No quadro do Compete 2020 lançaremos, até ao fim deste ano, uma nova linha específica para incentivos financeiros às empresas que queiram progredir na sua integração no comércio digital», afirmou o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Estas declarações foram feitas na apresentação do novo programa da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) «Exportar Online», no Porto.

«Vamos ouvir as empresas para poder adaptar o novo incentivo às suas necessidades», acrescentou o Ministro, referindo que o objetivo do Governo é «assegurar que Portugal entra no pelotão da frente na nova forma de fazer negócio», que representa o comércio digital.

Vantagens para as empresas

«Estamos a falar de um comércio em expansão e com uma característica muito relevante: entre os países que mais crescem estão os não europeus, e isso é muito relevante porque as nossas exportações estão concentradas» na Europa», disse Santos Silva.

E exemplificou com a China, «um enorme mercado por questões demográficas, mas também que mais está a crescer» a nível digital.

«Outra das vantagens do comércio digital é que não conhece grande parte das barreiras físicas e alfandegárias», o que «aumenta o seu potencial de exportação e o alcance geográfico das exportações portuguesas, reduzindo os custos de contexto e reais», acrescentou.

Internacionalização e crescimento económico

Lembrando que a internacionalização é «um vetor essencial da política externa portuguesa», o Ministro lembrou o percurso feito nos últimos anos pela economia, cujas exportações, «há 13 anos, valiam menos de 27% do PIB e, em 2017, ultrapassaram os 43%».

Sobre o investimento estrangeiro no País, «concluída uma fase na qual ativos nacionais foram adquiridos, é agora muito importante que o capital estrangeiro sirva para criar emprego e riqueza».

«É também essencial que Portugal mantenha um saldo positivo da balança comercial, que foi uma das aquisições mais importantes que o País fez nos últimos anos», para além de «continuar a aumentar as exportações» e o seu peso no PIB, disse Santos Silva.

Programa «Exportar Online»

O novo programa do AICEP «Exportar Online» visa apoiar as empresas na plena utilização do comércio internacional digital, aumentando o número de empresas exportadoras, o volume das exportações e os mercados de destino através da multiplicação dos canais de acesso aos consumidores.

«Precisamos de ter mais empresas a exportar, designadamente mais PME, e que as empresas exportadoras se tornem menos dependentes de um só mercado», afirmou o Ministro.

Santos Silva disse ainda que é preciso, em simultâneo, «consolidar mercado europeu, que hoje representa mais de 75% das exportações, e de diversificar mercados extracomunitários, com especial importância para a África subsaariana, América Latina e para oportunidades que vão surgindo nas várias ásias».

«Ao mesmo tempo, é também preciso aproveitar bem as novas perspetivas abertas pelos acordos comerciais e de investimento que a União Europeia vai concluindo», de que são exemplo países como Canadá, o Japão, o México ou o Mercosul», concluiu.