Saltar para conteúdo

Notícias

2018-05-07 às 18h17

Ministro do Ambiente anuncia intervenções em arribas no Algarve para minimizar riscos de derrocada

Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes
O Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, revelou que serão executadas 12 intervenções em arribas de praias algarvias com o objetivo de minimizar os riscos de derrocada.

«A queda dessas arribas é um fenómeno natural, que resulta da erosão, comum neste tipo de arribas, aliás, particularmente no Algarve», afirmou o Ministro.

Durante a inauguração da obra de minimização do risco a norte da praia do Magoito, em Sintra, o Ministro anunciou que «Há 12 desmontes, no Algarve, que têm de ser feitos intencionalmente porque há o risco de derrocada, e isso vai ser feito antes da época balnear».

Matos Fernandes acrescentou que «Estão, neste momento, aprovados 108 milhões de euros para cumprir 47 intervenções de dimensões diferentes, em várias zonas do país, que implicam um número de praias que próximo das 50».

Lembrando que é fundamental o respeito pela sinalização por parte dos banhistas, o Ministro referiu que nestas intervenções estão incluídas obras de consolidação de arribas e de falésias.

Proteger o litoral

Em relação à obra inaugurada no Magoito, Matos Fernandes referiu que o investimento de 664 mil euros permitiu assegurar um acesso mais confortável à praia e proteger a arriba fóssil ali existente.

"Estamos a falar em intervir em 65 quilómetros de costa e, aqui perto, temos uma obra para começar em Sintra, que é o consolidar das arribas nas Azenhas», acrescentou o Ministro.

Esta empreitada, orçada em cerca de dois milhões de euros, terá início ainda em 2018, após a época balnear, e decorrerá até 2019, ano em que será ainda estabilizada a falésia na praia de São Julião, sita no mesmo concelho.

«Temos em curso, do Minho ao Algarve, um conjunto vasto de obras sempre com o objetivo de proteger o litoral, garantindo que a linha de costa não recua, e garantindo a fruição destes espaços», concluiu.

Os trabalhos em curso incluem-se no âmbito do Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).