Saltar para conteúdo

Notícias

2019-06-17 às 19h15

Ministro da Defesa Nacional leva a internacionalização do setor aeronáutico ao Paris Air Show

Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, e Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, na Paris Air Show, 17 junho 2019
O Ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, visitou o Paris Air Show, um dos maiores salões internacionais de aeronáutica, onde Portugal está representado com cerca de uma dezena de empresas, incluindo a idD (Plataforma das Indústrias de Defesa Nacionais) e a Associação AED (Aeronáutica, Espaço e Defesa).

Na 53ª edição do evento que começou na segunda-feira, dia 17 de junho, no aeroporto Le Bourget, nos arredores da capital francesa, a internacionalização do cluster aeronáutico português esteve na agenda do Ministro da Defesa Nacional, nas reuniões com CEO de grandes empresas do setor da defesa e da aeronáutica.

João Gomes Cravinho marcou presença no stand de Portugal no certame, acompanhado pelo Secretário de Estado da Industrialização, Eurico Brilhante Dias, e onde registou o «enorme progresso» do setor aeronáutico na última década e enalteceu o papel das empresas portuguesas entre as quais tem havido colaboração.

Aos participantes presentes no espaço português, o Ministro da Defesa Nacional deixou uma estatística que «causa sempre surpresa: o setor da aeronáutica ultrapassa o do vinho nas exportações». «É um setor jovem, muito dinâmico, e com futuro», no qual os cursos de engenharia aeronáutica são «os que têm maior média de entrada nas universidades portuguesas», acrescentou João Gomes Cravinho.

A visita do Ministro da Defesa Nacional ao Paris Air Show coincidiu com a publicação, em Diário da República, da Lei de Programação Militar que investe, equipa e transforma as Forças Armadas até 2030 e prevê a dotação financeira de até 827 milhões de euros para a aquisição de cinco aeronaves de transporte aéreo estratégico e tático.

João Gomes Cravinho sublinhou que o objetivo da presença no Paris Air Show foi o de «reforçar a Força Aérea» e «tecido económico empresarial» português.