Saltar para conteúdo

Notícias

2019-06-06 às 19h01

Melhoria da resposta ao envelhecimento da população através de uma aposta nas novas tecnologias

Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva
«Assegurar um envelhecimento com qualidade de vida, saúde, bem-estar, dignidade e segurança representa hoje um dos principais desafios com que nos confrontamos», afirmou a Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, no encerramento da conferência «Desafios demográficos – O envelhecimento», em Coimbra.

A Ministra acrescentou: «Este é um desafio que deve ser assumido em toda a sua amplitude e integralidade e que nos incentiva a encontrar respostas diversas e plurais, que respeitem as escolhas e a participação ativa dos cidadãos».

«É essencial a aposta num modelo de serviços integrados e de proximidade, que convoque diferentes domínios, implicando o fortalecimento de mecanismos de articulação setorial, com destaque para as áreas da saúde e da proteção e apoio social», disse ainda Mariana Vieira da Silva, sublinhando a importância de «ir ao encontro das necessidades efetivas dos idosos».

Desafios demográfico e da coesão territorial

«Importa que o Estado, as instituições e os cidadãos concebam respostas que permitam às pessoas permanecerem nas suas casas o maior tempo possível, com um conjunto de apoios sobretudo nas áreas da saúde e da ação social», disse ainda a Ministra.

Mariana Vieira da Silva referiu: «Temos aqui a conjunção de dois desafios: um é o desafio demográfico, o outro é o desafio da coesão territorial».

«Quando se defendem políticas que apostem num envelhecimento com qualidade e dignidade, ativo e saudável, é de um número crescente de concidadãos que estamos a falar, o que demonstra a centralidade deste desafio quando pensamos no futuro», realçou.

Promoção de uma cidadania ativa

«Portugal é um dos países em que a distensão da esperança média de vida não tem sido acompanhada pelo respetivo aumento do número de anos de vida saudável, posicionando-se o País claramente abaixo da média europeia neste âmbito», lembrou a Ministra.

Em Portugal, de 2007 a 2017, a população com 65 e mais anos aumentou cerca de 18%, passando - desde 2011 - a representar um universo acima dos dois milhões de residentes.

«Deveremos ser capazes de responder aos desafios do envelhecimento ativo, promovendo formas de transição gradual do trabalho para a reforma, a aprendizagem ao longo da vida e a aquisição de novas competências, designadamente ao nível das tecnologias de informação e comunicação [TIC]», disse também Mariana Vieira da Silva.

E concluiu: «Importa ainda promover uma cidadania ativa e participativa ao nível do voluntariado, do envolvimento associativo, ou de outras formas de intervenção no espaço público».