Ligações internacionais são os «grandes espaços de investimento» - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2018-07-09 às 16h11

Ligações internacionais são os «grandes espaços de investimento»

Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, na sessão de lançamento dos concursos públicos da empreitada de modernização da Linha da Beira Alta, Guarda, 9 julho 2018
O Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, destacou que os investimentos ferroviários em curso neste momento «estão todos encostados à fronteira» com Espanha.
 
«Seja no Minho, seja aqui na Guarda, seja, por exemplo, no Corredor Internacional Sul, as nossas ligações internacionais, os troços mais próximos da fronteira, são aqueles que estão agora a ser privilegiados, a ser os nossos grandes espaços de investimento», afirmou Pedro Marques, na sessão de lançamento dos concursos públicos da empreitada de modernização da Linha da Beira Alta, na Guarda.
 
O Ministro sublinhou que esta é uma estratégia que terá continuidade e acrescentou que estão a decorrer «obras muito importantes nos vários corredores internacionais como grande prioridade da Infraestruturas de Portugal», a empresa pública de infraestruturas ferroviárias e rodoviárias.
 
Estes investimentos «serão complementados com enormes empreitadas, quer no Corredor Internacional Sul, a construir linha nova, quer aqui no Corredor Internacional Norte, com a renovação de toda a Linha da Beira Alta e com a concordância», na Pampilhosa, para os portos mais a norte, «em particular para Leixões».
 
Pedro Marques referiu que as decisões obedecem a um «investimento público criterioso» e que depois de se terem ultrapassado as fases de estudos e projetos, que demoraram cerca de dois anos, está-se agora «na fase da obra, do investimento público, do investimento público reprodutivo, daquele que traz mais economia às regiões».
 
O concurso lançado para a modernização da Linha da Beira Alta, entre Cerdeira e Guarda, tem um valor de 11 milhões de euros e um prazo de execução de 294 dias, durante os quais será realizada a renovação integral da via e a estabilização da plataforma, entre outras intervenções.
 
Durante a sessão, foi também lançado o concurso para sinalização da rede ferroviária nacional, com um montante global de 63 milhões de euros.
 
Potenciar relação económica com Espanha
 
Na Covilhã, na desmontagem de uma das pontes que será sujeita a intervenção no âmbito da requalificação da Linha da Beira Baixa, o Ministro destacou que esta obra vai potenciar a relação económica com Espanha, permitindo haver comboios diretos nos dois sentidos.
 
«É todo um potencial de desenvolvimento da região da Beira Baixa que se concretiza, é também para isso que estamos no terreno», disse Pedro Marques.
 
O Ministro afirmou que a previsão aponta para que a obra do Plano Ferrovia 2020 «esteja concluída em pouco mais que um ano», havendo depois «uma fase de testes e de certificação para funcionamento».
 
A aposta na Linha da Beira Baixa é «crítica para o desenvolvimento desta parte do Interior de Portugal» e o Ministro reiterou que «os investimentos mais significativos neste momento estão a acontecer mais próximo das fronteiras com Espanha».
 
«Acreditamos que o que muitos chamam de Interior é apenas o espaço mais próximo de Espanha e tem um potencial económico enorme», afirmou.