Saltar para conteúdo

Notícias

2019-05-14 às 13h49

Inovação na saúde permite introduzir testes de diagnóstico de sangue na hora em Centros de Saúde

Primeiro-Ministro António Costa visita a empresa de equipamentos de diagnóstico médico Biosurfit, Azambuja, 14 maio 2019 (Foto: João Relvas/Lusa)
Mais de duas dezenas de centros de saúde vão receber um equipamento para realizar testes de diagnóstico na hora através de uma gota de sangue, afirmou o Primeiro-Ministro António Costa durante uma visita à empresa Biosurfit, Azambuja, empresa na qual este método inovador foi desenvolvido e é produzido.

O equipamento, chamado Spinit, é o primeiro que permite realizar na hora testes de diagnóstico de sangue (hematologia, imunoensaios e química clínica), sendo produto do desenvolvimento realizado pela empresa desde 2006 e estando atualmente a começar a ser produzido para 13 países e para o mercado nacional.

António Costa afirmou que esta empresa é um excelente exemplo na inovação, bem como na «demonstração de que as empresas não precisam de estar todas em Lisboa», sendo possível ter «indústrias de alto padrão tecnológico e de alta qualidade» fora dos grandes centros urbanos, melhorando o desenvolvimento e a coesão territorial do País.

O Primeiro-Ministro destacou também a importância do investimento das entidades públicas no capital de risco: «todos os investimentos com base na inovação exigem capacidade para investir em capital de risco e essa é uma função que as entidades públicas também têm que desempenhar». Através de um «risco partilhado que o Estado assume para apoiar a economia» - a empresa recebeu 4,3 milhões de euros do Portugal 2020 e 12 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento.

Há dois anos, recordou António Costa, «numa edição do Web Summit, anunciámos a criação do fundo 200 M, uma ferramenta de coinvestimento inovadora que assenta num conceito fundamental: um risco partilhado que o Estado assume para apoiar a inovação nas empresas».

«O que nos torna competitivos é o que a Biosurfit está a fazer: ter uma ideia original, mobilizar uma equipa de conhecimento, transformar esse conhecimento num produto e fazer com esse produto fazer a diferença que lhe permite chegar ao mercado, e ajudar a economia a crescer, aumentar as exportações, o investimento e a criar mais e melhor emprego, mais qualificado», concluiu. 

A empresa, que foi fundada em 2006, tem 127 trabalhadores altamente qualificados e obteve o primeiro contrato para venda do equipamento Spinit, em 2013, na Holanda.