Saltar para conteúdo

Notícias

2019-05-21 às 20h27

Governo destaca temas importantes no futuro da negociação coletiva

O Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, afirmou que a igualdade, o combate à discriminação e a conciliação entre a vida profissional e familiar vão assumir uma importância crescente nas próximas negociações coletivas.

Em Lisboa, na apresentação do relatório anual sobre a evolução da negociação coletiva do Centro de Relações Laborais, o Ministro referiu que estas são «algumas dimensões que tenderão a ganhar importância na negociação coletiva».

Dentro do âmbito do combate à discriminação, Vieira da Silva sublinhou a diferença salarial entre homens e mulheres e reiterou a prioridade de potenciar a conciliação entre a vida profissional, pessoal e familiar, num objetivo partilhado tanto em Portugal como no seio da União Europeia.

«Vamos ter seguramente uma pressão persistente da parte externa, da União Europeia, para valorizar as questões da vida profissional, pessoal e familiar», acrescentou.

O Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social assumiu também o impacto «extremamente relevante» do investimento na qualificação, na aprendizagem ao longo da vida, assim como os regimes complementares, como é o caso dos seguros de saúde ou outros benefícios que, atualmente, têm pouca relevância nos contratos coletivos.

«Num quadro marcado por uma relação no mercado de trabalho em que a procura por parte das empresas excede a capacidade que a sociedade tem (…) e num quadro marcado por uma evolução da inflação muito baixa, é muito previsível que a concorrência pelas competências se faça para além da dimensão salarial», disse.