Governo apresenta Estratégia Nacional de Combate ao Desperdício Alimentar - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2017-11-08 às 19h14

Governo apresenta Estratégia Nacional de Combate ao Desperdício Alimentar

Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, apresenta a Estratégia de Combate ao Desperdício Alimentar, Lisboa, 8 novembro 2017 (Foto: César Cordeiro)
O Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos apresentou a Estratégia Nacional de Combate ao Desperdício Alimentar, destacando a criação de uma plataforma eletrónica e a simplificação do regime de doação de alimentos entre as 14 medidas.

«Estima-se que um milhão de toneladas de alimentos sãos sejam anualmente desperdiçados e este desperdício verifica-se em todas as cadeias do processo, desde a exploração agrícola até ao consumidor final», disse em Lisboa, num evento que também contou com a presença do Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira.

Referindo que o desperdício acontece «do prado ao prato», Capoulas Santos realçou que «as maiores perdas verificam-se na origem e no consumidor final».

A estratégia do Governo envolveu dez áreas e tem nove objetivos operacionais e 14 medidas que visam encaminhar Portugal para uma situação de desperdício nulo.

«Estas 14 medidas vão desde a educação e a formação à criação de plataformas, à criação de mecanismos que facilitem a doação, à criação de sites que permitam pôr em contacto aqueles que têm o excesso de produção com aqueles que dela necessitam, à articulação com a sociedade civil, designadamente com os bancos alimentares», destacou.

Medidas para combater desperdício alimentar

As medidas incluem a criação de uma plataforma eletrónica colaborativa, para identificar a disponibilidade de géneros alimentícios e quem deles necessita, facilitando a doação, para estar em funcionamento em 2019, com um projeto-piloto até outubro de 2018.

A facilitação do regime de doação de alimentos deverá ser concretizada a partir de 2018, enquanto a promoção de locais específicos em lojas para venda de produtos alimentares próximos da data limite de validade, deverá ser adotada em 2019.

A criação de um selo distintivo para as organizações que adiram a um código de conduta e a instituição de um prémio de excelência anual, para incentivar os operadores da cadeia agroalimentar, no sentido de desenvolver iniciativas pioneiras e criativas no combate ao desperdício, são ainda medidas da estratégia.

A sensibilização dos consumidores para os prazos de validade dos géneros alimentícios, ou do modo de conservação, e o envolvimento dos jovens, criando projetos-piloto nas escolas, integram igualmente a estratégia.

O plano de ação vai ser monitorizado pela comissão nacional criada para elaborar a estratégia nacional.