Saltar para conteúdo

Notícias

2019-07-30 às 15h53

«Foram ultrapassadas as melhores expectativas» no leilão de energia solar

«Este leilão tinha tudo para correr bem, pois estamos a falar de um dos países da Europa, em conjunto com a Turquia, com maior potencial para produzir eletricidade a partir do sol, mas de facto foram ultrapassadas as melhores expectativas, tanto na concorrência como no preço», afirmou o Ministro do Ambiente e Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, em declarações à agência Lusa.

O Ministro referia-se ao leilão de energia solar que terminou no dia 29 de julho, em Lisboa, e que contou com 64 concorrentes, tendo a procura sido nove vezes superior à oferta.

«Essa grande procura refletiu-se no preço: batemos um recorde do mundo num dos lotes e os preços médios são os mais baixos da Europa», sublinhou João Pedro Matos Fernandes.

O valor médio alcançado foi de 20 euros por megawatt/hora (MWh), menos de metade do preço base de licitação (45 euros MWh). Dos 64 concorrentes, 13 saíram vencedores, sendo que a empresa espanhola Iberdrola a organização que adjudicou um maior número de lotes e a empresa francesa Akuo a que ganhou mais potência - 370 MW de um total de 1400 MW que foram a leilão.

Mais-valias do leilão

«O resultado do leilão que decorreu entre os dias 25 e 29 de julho é muito importante para o País, que assim utiliza os recursos endógenos para produzir eletricidade, consumindo muito menos carvão e gás, que são importados», referiu ainda o Ministro.

E acrescentou: «É também muito importante para os consumidores, porque esta diferença entre o preço do mercado e o preço a que vamos pagar esta eletricidade vai toda para o sistema elétrico nacional, refletindo-se na redução do preço da eletricidade que pagamos em casa».

Lembrando que é «essencial cumprir as metas de descarbonização», João Pedro Matos Fernandes concluiu que este leilão «marca muito bem esta vontade de uma transição energética justa, porque produzir eletricidade a partir de renováveis é barato do que produzir a partir de combustíveis fósseis».