Saltar para conteúdo

Notícias

2019-05-02 às 11h40

Escolas portuguesas no estrangeiro reúnem-se em Cabo Verde para falar sobre futuro do ensino da língua

As escolas portuguesas no estrangeiro, onde estudam 6.000 alunos de várias nacionalidades e lecionam 500 professores, vão reunir-se na Praia, em Cabo Verde, para falar sobre o futuro do ensino da língua e da cultura portuguesas.

Sob o tema «Língua Portuguesa e os Desafios do Futuro», o encontro é uma iniciativa da Direção-Geral da Administração Escolar e da Escola Portuguesa de Cabo Verde – Centro de Ensino e da Língua Portuguesa.

Neste encontro estarão presentes as escolas portuguesas da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e da Região Administrativa Especial de Macau.

O Ministro da Educação português, Tiago Brandão Rodrigues, estará presente no encerramento.

Numa declaração à agência de noticias Lusa, Tiago Brandão Rodrigues destacou o «ensino de qualidade» que estas escolas proporcionam, mantendo as «mesmas orientações educativas, pedagógicas, didáticas, científicas que as escolas no território nacional».

Valorizar a língua e difundir a cultura portuguesa 

O Ministro referiu que estas escolas «têm como missão a valorização da língua» e a «difusão da cultura portuguesa, mas são também uma rede muito relevante para a nossa política educativa externa e para a nossa política de cooperação e de negócios».

«Obviamente que são um instrumento fundamental para o aprofundamento das relações de amizade e cooperação, com o conjunto dos países onde estão instaladas», disse ainda.

Tiago Brandão Rodrigues explicou também que «todas as escolas têm um centro de ensino e da língua portuguesa», o que constitui «um instrumento muito importante para a cooperação educativa, cultural, e para a difusão e ensino da língua portuguesa na sua diversidade» tendo também associado «um conjunto de valências de formação docente».

Sobre este primeiro encontro, o Ministro espera que o mesmo seja importante para «a partilha» e «intercâmbio de conhecimento».

Escolas funcionam também como ligação a Portugal

Tiago Brandão Rodrigues referiu também que os portugueses espalhados nestes países podem encontrar, nestas escolas e nos centros de ensino e da língua portuguesa, «uma ferramenta para poderem ter uma ligação mais especial a Portugal».

As escolas portuguesas no estrangeiro foram criadas no âmbito do aprofundamento das relações de amizade e de cooperação no domínio da Educação, através da assinatura de protocolos de cooperação bilateral entre o Estado português e Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Timor-Leste e RAE Macau.

Estes estabelecimentos educativos públicos são frequentados por alunos das mais diversas nacionalidades.
Áreas:
Educação