Saltar para conteúdo

Notícias

2019-06-19 às 10h46

Desemprego registado cai para mínimos dos últimos 28 anos

O desemprego registado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional desceu em maio para as 305,2 mil pessoas, o valor mais baixo dos últimos 28 anos. É preciso recuar a dezembro de 1991, altura em que havia 296,6 mil desempregados inscritos, para encontrar um número mais baixo de desempregados. 

De acordo com os dados hoje divulgados, existiam em maio menos 45 mil pessoas inscritas nos centros de emprego, uma redução homóloga de 13% e uma quebra de 5% face a abril deste ano.

Esta redução no número de desempregados verificou-se também na faixa mais jovem da população e nos cidadãos há mais tempo inscritos nos centros emprego:  o número de jovens desempregados ficou nos 30,1 mil em maio, uma redução de 14,2% face ao mesmo mês de 2018 e com uma diminuição de 8,3% em relação a abril deste ano. Já o número de desempregados de longa duração desceu para 136,2 mil, com um decréscimo homólogo de 21,0% e uma redução em cadeia de 3,8%.

A redução do desemprego igualmente transversal a todas as regiões do país, com destaque para os decréscimos homólogos de 14,5% em Lisboa e Vale do Tejo e de 14% na região Norte.

O desemprego diminuiu em todos os setores de atividade com exceção de um ligeiro acréscimo nas indústrias extrativas, com a maior redução homóloga a ocorrer mais uma vez no setor da construção (menos 24,3%).

Desde o início da legislatura, analisando o período entre janeiro de 2016 e maio de 2019, o desemprego registado desceu 46,5%, no correspondente a menos 265,2 mil pessoas, com descidas de 58,7% do desemprego jovem (menos 42,8 mil pessoas) e de 48,5% do desemprego de longa duração (menos 128,5 mil cidadãos).