Saltar para conteúdo

Notícias

2019-05-30 às 20h09

CPLP responde favoravelmente a cooperação em missões e operações de paz

Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, na reunião da CPLP, Luanda, 30 maio 2019
Os Ministros da Defesa e equiparados da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) estiveram reunidos em Luanda e decidiram que vão trabalhar em conjunto para estarem mais presentes no âmbito da segurança marítima no Golfo da Guiné, para além de aprofundarem participações conjuntas em missões. 

Concordaram também em reforçar a cooperação entre os Estados-Membros e as respetivas capacidades nacionais no domínio das operações de paz das Nações Unidas, através de formação conjunta e da partilha de experiências.

«Houve uma resposta extremamente positiva por parte dos colegas e os nossos diretores de políticas de defesa e os chefes de Estado-Maior-General das Forças Armadas ficaram agora incumbidos da responsabilidade de encontrar mecanismos práticos para avançar com essa ideia», disse o Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho.

O Ministro afirmou ainda que esta é uma proposta discutida há cerca de 20 anos - agora retomada - e que teve o acolhimento dos participantes, «quer seja no âmbito da preparação das nossas forças para participação em missões de paz, quer seja na participação de forças de diferentes países integrados nas forças de outros países da CPLP em missões de paz internacionais».

No Acordo sobre Globalização da Cooperação Técnico-Militar assinado em 1999, a preparação, o treino de unidades militares para participação em operações humanitárias e de apoio à paz era um dos pilares e que tinha como objetivo fomentar as capacidades das Forças Armadas de cada país, para participarem em forças multinacionais mandatadas pela ONU e/ou por organizações de segurança regionais. 

O Golfo da Guiné é também uma das preocupações de vários países como Portugal, por constituir um ponto de passagem de comércio. João gomes Cravinho explicou que este foi um ponto consensual sobre o qual «é necessário trabalhar, no sentido de encontrar formas de trazer a CPLP para o Golfo da Guiné».

No encerramento da reunião, o Ministro da Defesa de Angola, Salviano Sequeira, afirmou que ficou assente no encontro que os Estados-membros devem apostar numa firme cooperação no âmbito da formação de quadros, partilha de informações de interesse mútuo e acesso aos equipamentos e à tecnologia de ponta, como fatores fundamentais para que os países possam garantir a defesa da sua soberania e integridade territorial.

«A paz e a segurança, a proteção do ambiente marítimo, a harmonização de políticas dos Estados relativas à exploração dos recursos no mar comum deve estar também no centro das nossas preocupações, porquanto a segurança marítima necessita de um esforço combinado por parte dos Estados-membros da CPLP, ao lado de outros parceiros internacionais, no combate às ações de pirataria que ocorrem nestes espaços» disse Salviano Sequeira.