Saltar para conteúdo

Notícias

2019-05-21 às 16h41

Chave Móvel Digital deverá ser o acesso preferencial de autenticação em serviços públicos

Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, e Secretário de Estado Adjunto e da Modernização Administrativa, Luis Goes Pinheiro, na assinatura do protocolo com a CGD, Lisboa, 21 maio 2019
O Secretário de Estado Adjunto e da Modernização Administrativa, Luís Goes Pinheiro, afirmou que a Chave Móvel Digital deverá ser em breve o acesso preferencial de autenticação em serviços públicos.

Em Lisboa, na cerimónia de assinatura do protocolo entre a Caixa Geral de Depósitos e a Agência para a Modernização Administrativa, que permite a realização da maior parte das operações bancárias através de chave móvel digital, o Secretário de Estado referiu que esta tendência ficará dependente do aumento das adesões ao serviço.

A Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva, realçou que existem atualmente 525 mil cidadãos com a Chave Móvel Digital ativada, mais do dobro dos 212 mil que existiam no início do ano.

O crescimento está associado não só ao aumento de serviços em que pode ser utilizada mas também à natural renovação do cartão de cidadão, num processo que permite a apresentação ao cidadão do mecanismo de autenticação e certificação em serviços públicos e privados.

O protocolo com a Caixa Geral de Depósitos, que tem mais de 3,6 milhões de clientes ativos, deverá propiciar também um aumento significativo no número de cidadãos com a Chave Móvel Digital, acrescentou Mariana Vieira da Silva.

Depois deste acordo, a realização da maior parte das operações bancárias pode ser feita através da Chave Móvel Digital.

Uma password para todos os serviços

«Os cidadãos passam a ter de memorizar apenas uma password, que é a mesma para o Serviço Nacional de Saúde, para a Autoridade Tributária ou para o Instituto dos Registos e do Notariado», destacou Luís Goes Pinheiro.

O Secretário de Estado frisou que a autentificação é segura e que, a cada momento, o utilizador vai usar um código diferente, uma vez que de cada vez que se autentica tem de inserir o código que recebe por mensagem telefónica. «É sempre nova e sempre gerada no momento», referiu.

A Caixa Geral de Depósitos é a quinta instituição financeira a aderir à Chave Móvel Digital, juntando-se a BCP, Activo Bank, Novo Banco e Banco de Portugal.