Assegurar convergência com a União Europeia «tem de ser ambição coletiva» - XXI Governo - República Portuguesa

Notícias

2019-02-27 às 15h10

Assegurar convergência com a União Europeia «tem de ser ambição coletiva»

Primeiro-Ministro António Costa e Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, na cerimónia de consignação das obras no porto de Viana do Castelo, 27 fevereiro 2019 (Foto: Paulo Vaz Henriques)
O Primeiro-Ministro António Costa afirmou que assegurar uma trajetória de convergência com a União Europeia «tem de ser ambição coletiva», durante a intervenção na cerimónia de consignação da obra do acesso rodoviário ao porto de mar de Viana do Castelo.

António Costa referiu que «só é preciso que haja boas políticas para ter bons resultados», reforçando a importância de prosseguir as políticas que têm permitido alcançar bons resultados, mesmo «nesta fase em que a economia mundial dá sinais menos animadores».

«Hoje temos margem para fazer mais aquilo que é necessário: investir nas infraestruturas que ajudam a reforçar e a potenciar o investimento privado já realizado, e a potenciar o crescimento da nossa economia com uma base exportadora forte», acrescentou.

O Primeiro-Ministro sublinhou a metáfora de «pedalar com mais força para contrariar as tendências que vêm de fora». «Para sustentar a dinâmica que temos tido e que temos de ser capazes de manter» será necessário valorizar «a capacidade de consumo e de investimento estratégico, o potencial de desenvolvimento e de crescimento económico».

«Há boas razões, não para descansarmos, mas para estarmos confiantes de que, se fizermos o que é necessário fazer, iremos chegar a bom porto e continuar a assegurar uma trajetória de convergência com a União Europeia, que tem de ser a nossa ambição coletiva», acrescentou.

Aproveitar o potencial económico do mar

António Costa afirmou que a construção dos acessos rodoviários ao porto de mar de Viana do Castelo, num investimento de 7,3 milhões de euros, faz parte de um pacote de medidas pensadas para «criar condições para Portugal poder aproveitar todo o potencial económico do mar».

Num evento em que a Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, também esteve presente, António Costa sublinhou que esta construção vai permitir reforçar a competitividade do porto de Viana do Castelo e dos estaleiros navais.

A obra inclui uma rodovia com 8,8 quilómetros, que ligará o porto comercial ao nó da Autoestrada 28 (A28) em São Romão de Neiva, com duas faixas de rodagem de 3,5 metros de largura, permitindo retirar o tráfego de pesados do interior de vias urbanas. A intervenção inclui, ainda, a requalificação de um troço e bermas da Estrada Nacional (EN) 13 e a construção de dois novos troços a ligar esta estrada nacional à A28, com acesso direto ao porto comercial.

A obra, com conclusão prevista para agosto de 2020, é financiada pela Câmara Municipal de Viana do Castelo e pela Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

António Costa presidiu também à cerimónia de lançamento do concurso para o aprofundamento do anteporto e do canal de acesso aos estaleiros navais e ao cais do bugio. As obras representam um investimento público de 18,5 milhões de euros e privado de 11 milhões de euros.