Saltar para conteúdo

Notícias

2019-06-28 às 15h27

Arquitetura deve ser «central na política pública de cultura»

Ministra da Cultura, Graça Fonseca, na assinatura do protocolo entre a Direção-Geral das Artes e a Casa da Arquitetura, Matosinhos, 28 junho 2019
A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, afirmou a vontade em transformar a arquitetura portuguesa em algo «central na política pública de cultura e de outras áreas da esfera do Governo».

Em Matosinhos, na assinatura de um protocolo entre a Direção-Geral das Artes e a Casa da Arquitetura, a Ministra realçou que «o foco da Casa da Arquitetura é projetar a arquitetura não só na sua área mais ligada com a dimensão cultural, mas também enquanto atividade económica».

O protocolo assinado diz respeito ao depósito do acervo das representações portuguesas na Bienal de Arquitetura de Veneza e a uma parceria para estimular a divulgação, conservação, estudo e acessibilidade da arquitetura contemporânea portuguesa, junto dos profissionais, estudantes e públicos.

A parceria tem o objetivo de promover a arquitetura contemporânea portuguesa e a área de governo da Cultura manifestou a disponibilidade de «apoiar as atividades desenvolvidas pela Casa da Arquitetura entre 2019 e 2020».

As atividades incluem não só o tratamento preventivo e arquivístico de acervos, espólios e coleções nacionais e internacionais, como também a promoção e divulgação pública da arquitetura e a realização de exposições.

O protocolo permite que a Casa da Arquitetura concretize um conjunto de atividades bem definidas durante um ano graças a um financiamento de 250 mil euros. «No final do primeiro ano de vigência vamos fazer uma avaliação, sendo que a vontade do governo é que ele venha a ser renovado nos anos seguintes», acrescentou Graça Fonseca.
Áreas:
Cultura