Saltar para conteúdo

Notícias

2019-03-26 às 13h15

Apoio de Portugal a Moçambique não tem prazo e pode haver reforço

Secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, durante a visita à Beira, Moçambique, na sequência do ciclone Idai, 26 março 2019
O Secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, afirmou que o apoio de Portugal a Moçambique após o ciclone Idai «não tem prazo, e enquanto as autoridades locais necessitarem do Governo português, a disponibilidade é total, inclusivamente para haver reforço».

Na Beira, em Moçambique, o Secretário de Estado salientou que as forças militares e de proteção civil, num total de 110 elementos, estão envolvidas em diversas atividades, desde a distribuição de alimentos à purificação de água.

«Num primeiro momento não havia resposta para tanta procura por água, mas agora já estão a conseguir fazer reserva», disse José Artur Neves em declarações à Lusa, acrescentando que os sistemas de purificação de água permitem fornecer 300 litros por hora.

A força nacional esta também responsável por gerir o transporte e distribuição pela população de 1200 quilos de alimentos, através de barcos.

José Artur Neves referiu também que a possibilidade de ativar um hospital de campanha do Instituto Nacional de Emergência Médica de Portugal, com equipamentos e médicos, continua a ser equacionada caso venha a ser necessário.

A comunidade portuguesa na Beira é composta por 2500 elementos.