Saltar para conteúdo

Notícias

2019-05-14 às 12h49

Agricultura de precisão e economia circular são trunfos para gestão inteligente de água

O Secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde, afirmou a importância de fazer uma aposta na agricultura de precisão e na economia circular para garantir uma gestão mais inteligente de água.

Em Coimbra, na sessão de abertura do encontro «PURA 2019 Comunicação Ambiental – Comunicar com Água», o Secretário de Estado sublinhou que a agricultura de precisão «tem de avançar» e acrescentou a possibilidade de se virem a adotar culturas «com menos necessidades de água, sobretudo nos locais mais críticos».

João Ataíde destacou que a adoção de uma economia circular adaptada a água, que permita fazer uma gestão inteligente e reutilização valiosa, é um trunfo para contrapor a uma economia portuguesa que ainda está muito centrada num modelo linear de «uso e abuso» dos recursos naturais.

O Governo está a fazer desta circularidade uma prioridade e tem como objetivo que as 20 empresas gestoras das 50 maiores estações de tratamento de águas residuais (ETAR) reutilizem 10% das águas residuais tratadas até 2025 e 20% até 2030.

«O que temos à saída de uma ETAR - e uma ETAR pode, de facto, ser uma fábrica de água - é água com características que permitem a sua reutilização não potável. É água boa para rega, para limpeza de ruas ou para viaturas», acrescentou João Ataíde.