Artigo do Ministro dos Negócios Estrangeiros «O Imamat Ismaili em Lisboa, boa notícia para Portugal» - XXI Governo - República Portuguesa

Intervenções

2018-07-19 às 19h06

Artigo do Ministro dos Negócios Estrangeiros «O Imamat Ismaili em Lisboa, boa notícia para Portugal»

Quando tenho de explicar, na Europa e no estrangeiro, que o nosso país apresenta qualidades singulares, recordo muitas vezes que, em 2016, logo após a cerimónia de posse no Parlamento, o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa participou numa cerimónia religiosa na Mesquita de Lisboa, onde estiveram representadas todas as confissões religiosas praticadas em Portugal. Assinalou assim, de forma bastante feliz, que a sua condição de Presidente de todos os Portugueses compreendia não apenas todas as correntes de opinião como todas as crenças.

Este episódio simboliza a diversidade, a boa integração e a sadia convivência das confissões; mas também que o Estado, sendo laico, reconhece a presença do fenómeno religioso, respeita a sua dimensão privada e valoriza a sua presença pública, apoiando a sua ação no quadro normativo próprio da nossa democracia. A isto chamamos liberdade religiosa.

É neste contexto que se situa a cooperação entre o Estado Português e o Imamat Ismaili. Ela significa, desde logo, o reconhecimento dessa nossa comunidade: quase uma dezena de milhares de membros, com raízes pessoais ou familiares em Moçambique e, mais atrás no tempo, na sociedade goesa. Chegada a Portugal nos anos 70, a comunidade inseriu-se muito bem, demonstrando solidariedade interna, assumindo plenamente a sua cidadania e demonstrando engenho e trabalho para criar riqueza. A forma como vive e pratica a religião contribui, em conjunto com a das outras comunidades muçulmanas aqui residentes, para que seja tão generalizada a plena compreensão do Islão, o que sabemos ser um dos nossos grandes trunfos, quando nos comparamos com outras partes da Europa.

Leia o artigo