Intervenção do Ministro dos Negócios Estrangeiros no Seminário Diplomático - XXI Governo - República Portuguesa

Intervenções

2018-01-03 às 19h16

Intervenção do Ministro dos Negócios Estrangeiros no Seminário Diplomático

A política europeia e externa de Portugal baseia-se numa matriz clara e estável. Todos o sabemos e valorizamos. Uma forma simples e eloquente de descrevê-la é imaginá-la como um quadrilátero, em cujos lados estivesse escrito "construção europeia", "elo transatlântico", "valorização da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP)" e "ligação com as comunidades residentes no estrangeiro".

A clareza e a estabilidade desta matriz são um recurso fundamental do país, quer interna, quer externamente: trazem coerência e continuidade a uma dimensão crítica da sua soberania e da sua participação na ordem mundial. Isto não significa, contudo, cristalização. Exatamente porque é inequívoca e estrutural, a matriz permite e acolhe harmoniosamente adaptações e desenvolvimentos.

Eis o que tem sucedido, de duas maneiras complementares. De uma banda, uma elaboração digamos que interna ao quadrilátero fundacional, que robustece, atualiza e densifica os seus elementos primaciais. Da outra banda, o progressivo acrescento de novos elementos que, ou por adição ou por autonomização, vão-se constituindo progressivamente em outras traves-mestras da política europeia e externa, de tal modo que o quadrilátero vai adquirindo pouco a pouco outra forma poligonal.»

Leia a intervenção em anexo