Intervenção do Ministro da Cultura na atribuição da Medalha Mérito Cultural a Maria da Graça Carmona e Costa - XXI Governo - República Portuguesa

Intervenções

2018-09-12 às 18h11

Intervenção do Ministro da Cultura na atribuição da Medalha Mérito Cultural a Maria da Graça Carmona e Costa

É uma honra recebê-los no Palácio Nacional da Ajuda para a Cerimónia da Entrega da Medalha de Mérito Cultural a Maria da Graça Carmona e Costa.

A Medalha de Mérito Cultural é a mais alta distinção atribuída pelo Ministério da Cultura e é entregue a quem dedicou a vida à Cultura, à criação e à promoção das artes e que, com o seu trabalho, engrandece o nosso país.

Maria da Graça Carmona e Costa é uma personalidade emblemática da arte contemporânea portuguesa e, ao longo da sua vasta carreira, desempenhou – e continua a desempenhar - um papel determinante na divulgação de várias gerações de criadores nacionais.

É, por isso, justíssimo o reconhecimento público que aqui nos reúne. É graças a Maria da Graça Carmona e Costa que muitos dos mais reconhecidos autores no domínio das artes visuais criaram e difundiram os seus trabalhos em Portugal e no estrangeiro. Maria da Graça Carmona e Costa criou não só espaços de exposições abertos à experiência no processo criativo, como também se empenhou sempre na vida cultural do país e na formação de jovens artistas promovendo, por exemplo, bolsas de estudo.

No domínio das artes visuais e com um trabalho, essencialmente, centrado no Desenho, organizou inúmeras exposições e dinamizou publicações de referência, envolvendo e estimulando desde artistas emergentes a consagrados, incluindo autores da história das artes, da estética e da crítica cultural. Reuniu à sua volta uma verdadeira comunidade de artistas, curadores, galeristas, colecionadores, produtores e pensadores que, ao longo de décadas, consigo trabalharam para valorizar a criação contemporânea e enriquecer o contexto cultural português.

Maria da Graça Carmona e Costa acompanhou o percurso de inúmeros criadores, realizou mostras marcantes na história das artes nacionais e desenvolveu uma política sustentada e continuada de aquisição de obras de arte.

O vasto espólio artístico reunido por Vítor e Maria da Graça Carmona e Costa deu lugar a coleções nas áreas do desenho, pintura, escultura, e também de porcelana chinesa e faiança portuguesa. Um imenso e valioso património disponibilizado na Fundação para fruição pública.

Assim, em nome do Governo e do país, deixo aqui um agradecimento pela dedicação de uma vida à arte contemporânea e pelo seu inestimável papel na inscrição das artes visuais portuguesas na história cultural do país.
Tags:
cultura