Standard & Poor’s volta a subir o rating da dívida pública portuguesa - XXI Governo - República Portuguesa

Comunicados

2019-03-15 às 21h33

Standard & Poor’s volta a subir o rating da dívida pública portuguesa

A agência de notação financeira Standard & Poor’s subiu hoje o rating da dívida pública portuguesa de BBB-/A-3 para BBB/A-2, dois níveis acima do grau de investimento especulativo, atribuindo-lhe uma perspetiva estável.

Esta decisão reflete o reconhecimento de importantes transformações estruturais na economia nacional e da melhoria das contas públicas. Trata-se de uma decisão que contribui para reforçar a confiança dos investidores e a credibilidade externa de Portugal, com impacto direto nos custos de financiamento das famílias, das empresas e do Estado.

No plano económico, destaca-se o processo de reequilíbrio das contas externas e a sua recomposição, num sentido que lhe confere maior resiliência, e o aumento do peso das exportações no Produto Interno Bruto (PIB), em +16 p.p. desde 2005. A agência considera que as condições de crédito em Portugal convergiram para a média da zona euro, em simultâneo com uma diminuição substancial do endividamento das empresas e das famílias.

O processo de consolidação orçamental tem sido uma prioridade da política económica e baseado no crescimento económico, na diminuição dos encargos com os juros e na contenção da despesa.

O excedente orçamental primário alcançado em 2018 (estimado em cerca de 3%, um dos maiores da OCDE) coloca o rácio da dívida pública numa trajetória descendente. Estima-se que em 2019 se reduzirá o défice orçamental em 0.2 a 0.3 p.p. do PIB, o que dá credibilidade à trajetória orçamental futura.

A economia portuguesa cresce há 22 trimestres, num processo de convergência com a zona euro que se verifica desde 2017 e que se deverá manter nos próximos anos. O crescimento do PIB tem sido acompanhado de um forte crescimento do emprego (foram criados mais 320 mil empregos desde o início da legislatura) e da redução do desemprego (redução de 285 mil desde o início da legislatura) num cenário de equilíbrio das contas externas.

Recorda-se que a República Portuguesa se financiou esta semana com as taxas de juro mais baixas de sempre, num cenário de convergência com as taxas praticadas para a dívida pública de Espanha e de aumento do diferencial face a Itália.

Portugal tem vindo a fazer um caminho que lhe permitiu reforçar a resiliência da economia e das contas públicas, construindo bases sólidas para um crescimento equilibrado. Os resultados alcançados são de extrema importância dados os desafios que se antecipam para o futuro, num contexto de incerteza política e de deterioração do ambiente económico global. O Governo está comprometido em preservar este caminho, por considerar ser o melhor garante de crescimento sustentável, inclusivo e criador de emprego de qualidade.
Tags:
dívida, mercados
Áreas:
Finanças