Saltar para conteúdo

Comunicados

2019-05-07 às 20h04

Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior lamenta falecimento do cientista Fernando Lopes da Silva

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor vem manifestar publicamente o mais profundo pesar pelo falecimento do ilustre cientista Fernando Lopes da Silva e endereçar à Família e aos Amigos as mais sinceras e sentidas condolências.

Fernando Lopes da Silva, neurocientista, nasceu em Lisboa em 1935, licenciou-se em medicina pela Universidade de Lisboa em 1959. Em 1965 juntou-se à equipa científica do Grupo de investigação do Cérebro na Holanda e obteve o seu Ph.D. em Neurofisiologia pela Universidade de Utrecht em 1970. Em 1980 foi nomeado Professor catedrático de Fisiologia Geral na Faculdade de Ciências da Universidade de Amsterdão. De 1993 a 2000, foi Diretor do recém-criado Instituto de Neurobiologia da Universidade de Amsterdão. 

Em Portugal em 2000, foi nomeado professor visitante da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e desde 2005 Professor do Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de Lisboa, com a função principal de organizar, promover e estimular uma estreita ligação entre a Engenharia e a Medicina através de um novo curso em Engenharia Biomédica. Acompanhou cientificamente inúmeros cientistas portugueses nas áreas da neurociências e engenharia biomédica.  Participou em inúmeros encontros de cientistas portugueses.

Foi coordenador do painel das Ciências da Vida da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), membro externo de acompanhamento e avaliação do IPATIMUP assim como Membro de avaliação do prémio BIAL.

Em Portugal foi-lhe atribuído, em 1997, o título Doutor Honoris Causa da Universidade de Lisboa; em 2002, Doutor Honoris Causa da Universidade do Porto e em 2004 beneficiário do primeiro Prémio "Universidade de Coimbra" para "pessoa de nacionalidade portuguesa que tenha dado um contributo relevante e inovador nos campos da cultura ou da ciência".

O Presidente da República, Jorge Sampaio, concedeu-lhe em 2000 o Grande-Colar de Oficial da Ordem de Santiago da Espada, por notáveis realizações no campo da Ciência, Arte e Literatura. 

Foi igualmente agraciado com inúmeros prémios científicos internacionais nomeadamente, em 1985, Membro eleito da Academia Real Holandesa de Artes e Ciências, em 1995 Membro Honorário da Sociedade Britânica de Neurofisiologia Clínica. Recebe em 1999, o Prêmio Herbert H. Jasper, selecionado pela Sociedade Americana de Neurofisiologia Clínica por uma "vida de extraordinárias contribuições para o campo da neurofisiologia clínica". A Rainha da Holanda condecorou-o em reconhecimento pelas suas realizações em Ciência, em 2001, Cavaleiro da Ordem do "Nederlandse Leeuw".