Saltar para conteúdo

Notícias

2022-10-07 às 18h25

PSP vai continuar a cooperar com SEF no controlo dos aeroportos até final do ano

Ministro da Administração Interna e Secretária de Estado da Proteção Civil na apresentação dos resultados do plano de contingência que esteve em vigor nos postos de fronteira aérea, Lisboa, 7 outubro 2022
Os agentes da PSP que durante os meses de verão reforçaram os aeroportos portugueses vão continuar a apoiar o SEF no controlo de passageiros até ao final do ano, disse o Ministro da Administração Internam, José Luís Carneiro.
 
«Tomamos a decisão de prolongar esta cooperação institucional entre PSP e SEF até 31 de dezembro e depois, se for considerado necessário, poderá prolongar-se durante o mês de janeiro», disse José Luís Carneiro, em Lisboa, durante a apresentação dos resultados do plano de contingência que esteve em vigor nos postos de fronteira aérea dos aeroportos nacionais entre junho e setembro. Na conferência de imprensa esteve também a Secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar.
 
O Ministro disse também que esta cooperação institucional «é um objetivo que deu provas» e que esta extensão, até 31 de dezembro, «significa que se está a preparar o verão de 2023 e fazer face ao possível aumento de passageiros nos aeroportos durante o período do Natal». Os 168 agentes não vão estar sempre no controlo das fronteiras, passando a ser feito um ajustamento do dispositivo da PSP às necessidades efetivas do fluxo existente nos aeroportos.  
   
«A procura nos aeroportos ocorre entre as 05:00 e as 15.00. A partir das 15:00 verifica-se uma quebra muito significativa na procura dos aeroportos, o que significa que não faz sentido do ponto de vista da boa gestão dos recursos humanos ter esses efetivos da PSP em aeroporto a partir das 15:00. Os agentes da PSP continuam a trabalhar no perímetro do aeroporto, mas na ordem e segurança pública e não na segurança aeroportuária», afirmou.
 
Recorde-se que o plano de contingência do SEF para os aeroportos portugueses durante os meses de verão incluiu um conjunto de medidas, nomeadamente o reforço de 168 agentes da Polícia de Segurança Pública, que receberam formação para auxiliar o SEF no controlo de fronteiras aéreas.
 
Tempo de espera no aeroporto de Lisboa baixou uma hora, entre maio e setembro 
 
Os resultados do plano de contingência indicam ainda que o tempo máximo de espera no aeroporto de Lisboa baixou uma hora entre maio e setembro, passando de uma hora e 50 minutos para 50 minutos.
 
O diretor nacional do SEF, Fernando Silva, disse este resultado está «em linha com os melhores resultados que se registam na Europa».
 
Ao todo, entre junho e setembro, o SEF controlou 7,2 milhões de passageiros nas chegadas e partidas, sendo a maioria do Reino Unido, Portugal, Brasil e Irlanda. Durante destes quatro meses, 610 pessoas foram impedidas de entrada no País, 158 foram detidas nos postos de fronteira, sendo a maioria por utilização de documentação falsa ou sem visto de entrada, e feitos 211 pedidos de asilo, números que aumentaram face aos anos anteriores.