Saltar para conteúdo

Notícias

2022-06-21 às 14h11

PRR: Governo vai lançar avisos para creches, apoio domiciliário e radar social

Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho
O Governo vai lançar vários avisos no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para creches, apoio domiciliário e radar social, anunciou a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, numa sessão de assinatura de contratos PARES 3.0, na Guarda.

Os serviços do Ministério estão a preparar o lançamento de um novo aviso dedicado ao alargamento das creches, para que «as crianças tenham igualdade de oportunidades, independentemente «do meio e das condições económicas em que nasçam».

O aviso será «focado essencialmente em projetos de reconversão de espaços existentes», «em vez de multiplicar nova construção» usando, «por exemplo, instalações de pré-escolar que não está a ser usado».

Vai ser lançado um aviso do PRR para novas respostas para o combate ao isolamento e outro para o Apoio Domiciliário 4.0.

O Apoio Domiciliário 4.0 pretende «qualificar cada vez mais o apoio domiciliário com recursos digitais e tecnológicos, procurando responder melhor às pessoas».

E vai também «lançar um aviso dedicado ao Radar Social», um programa para criação de equipas de identificação e acompanhamento de pessoas que estão em situação mais vulnerável, sejam pessoas idosas, sejam pessoas com deficiência, de forma a encontrar respostas personalizadas e adequadas a cada situação.

Será criada uma equipa por cada concelho «para sinalização de pessoas que estão em situação de isolamento e integração e acompanhamento na rede», disse.

PARES

A Ministra presidiu à assinatura de contratos do Programa de Alargamento da Rede de Equipamento Sociais 3.0, cujo concurso teve 371 candidaturas aprovadas e abrange 658 respostas sociais, com um investimento total de 393 milhões de euros.

No distrito da Guarda, o PARES 3.0 apoia 24 candidaturas para 40 respostas sociais, com um investimento total de 23,5 milhões de euros.

Ana Mendes Godinho também se desloca a Castelo Branco e a Portalegre, onde assina contratos idênticos no valor de 19,6 milhões de euros e 14 candidaturas (Castelo Branco) e de 5,3 milhões de euros e oito candidaturas (Portalegre).