Saltar para conteúdo

Notícias

2023-07-07 às 19h34

Ciência 2023: centenas de investigadores reunidos em redor da proteção dos Oceanos

Resumo das medidas tomadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior no último ano
«Enquanto continuarmos a investir em Ciência, continuaremos a promover um crescimento económico e social sustentado e sustentável porque sabemos que os passos que damos são baseados em evidências e dados científicos que determinam as melhores políticas públicas em termos da área governativa que tutelo», afirmou a Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior no encerramento do Encontro Ciência 2023.

Durante os dias 5 e 7 de julho, inúmeros investigadores, docentes e estudantes rumaram a Aveiro para o primeiro Ciência descentralizado e dedicado a um só tema: «Ciência e Oceanos para além do Horizonte». 

Pela primeira vez o evento realizou-se fora de Lisboa, iniciativa que, de acordo com a tutelar da pasta da ciência, «acredito que o Professor Mariano Gago, se estivesse vivo partilharia comigo esta ideia de termos dado asas ao Encontro Ciência e o deixarmos voar até Aveiro, que tão bem o recebeu, e permitir ter a Ciência mais próxima de todos. Valeu a pena arriscar, e se dúvidas existissem: a descentralização do encontro mostrou que resultou». 

«Gostaria em primeiro lugar de agradecer ao Reitor da Universidade de Aveiro, o facto de ter aceitado este desafio, ainda me lembro de que quando lhe telefonei, não hesitou e disse logo que sim. Em nome dele gostaria de agradecer a toda a equipa e foram muitos, os colegas da equipa reitoral, os docentes, os investigadores, funcionários e todos os voluntários, penso que num total de 80 que se juntaram a este encontro ciência. Acho que o encontro ciência 2023 vai ficar na história pois foi o primeiro feito fora de Lisboa».

Elvira Fortunato declarou que «não podemos permanecer indiferentes às alterações climáticas que têm efeitos no ambiente e no clima, mas também na nossa saúde e na nossa alimentação. Não podemos ser indiferentes à transição digital que nos impele a construir soluções sustentáveis, que não causem mais danos no planeta, mas que, pelo contrário, promovam economias mais azuis e mais verdes«.

Ao longo de três dias refletiu-se acerca de políticas de governação ao serviço do oceano e do planeta, da inovação alimentar, da tecnologia oceânica ou da biotecnologia azul, entre outras matérias que contaram com a participação na discussão, além do Primeiro-Ministro, de diversos ministros como o Ministro da Economia e do Mar, o Ministro do Ambiente e da Ação Climática, a Ministra da Agricultura e Alimentação,  e de um conjunto de Secretários de Estado e representantes da Assembleia da República.

A edição deste ano do Ciência contou com mais de 3300 participantes, distribuídos em seis sessões plenárias, 39 temáticas, com cerca de 260 oradores, 40 demonstrações expositivas e um conjunto de 950 pósteres. 

A Ministra anunciou também que, para o ano, o Encontro realizar-se-á na cidade do Porto, depois de ter apresentado o vídeo, promovido pela área governativa da ciência, tecnologia e ensino superior, e que resume as medidas levadas a cabo pelo Ministério desde o início da legislatura. 

A propósito do Encontro Ciência 2023, o Conselho de Ministros foi descentralizado, reuniu em Aveiro, e durante o qual foram aprovados diversos diplomas na área governativa da ciência, tecnologia e ensino superior: 
  • projeto para o novo Estatuto da Carreira de Investigação Científica
  • Regime jurídico do título académico de agregado
  • Regimes de acesso e ingresso no ensino superior.
Foi ainda apresentada uma nova proposta para a promoção de emprego científico, que prevê que por cada contrato FCT Tenure seja retirado «um investigador da precariedade».