Saltar para conteúdo

Notícias

2024-02-02 às 15h58

Portugal e Cabo Verde integram Acelerador Global das Nações Unidas

A iniciativa, na área da formação, está orçada em 4 milhões de euros e irá abranger 2 mil trabalhadores

A candidatura que Portugal e Cabo Verde submeteram ao Acelerador Global das Nações Unidas sobre Trabalho e Proteção Social foi aceite. A iniciativa, na área da formação, está orçada em 4 milhões de euros e irá abranger 2 mil trabalhadores.

O projeto beneficiará do impulso dado pelo Acelerador Global, dirigido a ações de cooperação para responder aos grandes desafios atuais, abrangendo áreas como as energias renováveis, economia digital, áreas sociais, turismo, metalomecânica, mecatrónica e construção civil. 

Além de apoio técnico e financeiro de Portugal, Cabo Verde pode ainda candidatar-se a um fundo global dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que este ano abre uma janela especial para emprego decente e proteção social.

"Este projeto é fruto de um trabalho que temos desenvolvido em conjunto para apostar na valorização das pessoas como o determinante na cooperação entre os dois países", destacou a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, que participou, à distância, no anúncio oficial da entrada de Cabo Verde no Acelerador.

Para o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, este é um "projeto ambicioso de formação profissional, e também de integração, proteção e inclusão social, que responde aos grandes desafios da qualificação, empregabilidade, mobilidade laboral, com proteção de direitos laborais". 

Com este projeto, Cabo Verde pretende posicionar-se como um centro de formação para a Comunidade de Países de Língua Portuguesa. 

Coordenada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), esta iniciativa global tem como objetivo fomentar a recuperação do emprego e a criação de, no mínimo, 400 milhões de empregos dignos a nível global e expandir a proteção social.