Saltar para conteúdo

Comunicados

2024-01-12 às 11h18

Publicado o primeiro Plano de Ação para o Envelhecimento Ativo e Saudável

1. Plano contempla 83 medidas e 135 atividades, promovendo respostas integradas, articulando políticas das várias áreas 

 2. Foco na promoção da saúde e bem-estar, autonomia e vida independente, proteção de rendimentos, aprendizagem e requalificação de competências, participação no mercado de trabalho e participação ativa na sociedade são os grandes objetivos 

3. Novo paradigma de resposta às necessidades atuais da população sénior e de prevenção para a melhoria da qualidade de vida nas próximas décadas

Foi hoje publicado em Diário da República o Plano de Ação do Envelhecimento Ativo e Saudável 2023- 2026. 

Contempla 83 medidas e 135 atividades, assentes em seis grandes pilares, de que se destacam as principais prioridades:

Saúde e bem-estar 
  • Promoção de estilos de vida saudáveis e prevenção da doença 
  • Reforço da rede de cuidados no domicílio e na comunidade 
  • Capacitação e melhoria das condições de trabalho dos cuidadores formais e informais 

Autonomia e vida independente 
  • Minimização dos impactos do isolamento 
  • Habitação colaborativa e outros modelos de preservação da autonomia 
  • Cuidados domiciliários diferenciados 
  • Ambientes seguros e acessíveis

Desenvolvimento e aprendizagem ao longo da vida 
  • Promoção de programas de reskill e upskill 

Vida laboral saudável 
  • Maior conciliação do trabalho com a vida familiar 
  • Transição na passagem à reforma 
  • Promoção da diversidade intergeracional no trabalho

Rendimentos e economia do envelhecimento 
  • Valorização das pensões 
  • Complemento às pensões

Participação na sociedade 
  •  Voluntariado, vida política, envolvimento ativo

A Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, destaca que «é a primeira vez que temos uma Agenda para a promoção do envelhecimento ativo e saudável em Portugal, construída em conjunto entre as várias áreas. É um plano focado em respostas integradas às Pessoas e promoção da autonomia e independência, com medidas concretas, nomeadamente a promoção de soluções de habitação colaborativa, programas de reconversão de competências ao longo da vida, a criação de rede de gestores 65+».