Saltar para conteúdo

Comunicados

2024-01-12 às 19h01

PRR financia conservação do Abrigo do Lagar Velho nos 25 anos da descoberta da Criança do Lapedo

1. Salvaguarda e valorização do Abrigo do Lagar Velho, no Vale do Lapedo em Leiria, integradas na reprogramação do PRR com financiamento de 900 mil euros.

2. Estas intervenções coincidem com a celebração dos 25 anos da descoberta da Criança do Lapedo.

3. O Abrigo do Lagar Velho foi classificado como Monumento Nacional e a Criança do Lapedo foi o primeiro esqueleto a ser considerado como "Tesouro Nacional".

No momento em que se assinalam 25 anos da descoberta da Criança do Lapedo, o primeiro esqueleto do Paleolítico Superior encontrado em Portugal sepultado por uma comunidade de caçadores recoletores numa sepultura estruturada, o Estado dá mais um passo para a preservação do Abrigo do Lagar Velho integrando-o na reprogramação do PRR. Este compromisso foi formalizado esta semana pela assinatura do contrato de financiamento no valor de €900.000,00 entre o Fundo de Salvaguarda do Património Cultural e o Município de Leiria.

A intervenção de consolidação na escarpa, que será agora financiada pelo PRR, tornou-se possível devido à finalização do processo de aquisição, por parte da Câmara Municipal de Leiria, de três parcelas de terreno no Vale do Lapedo que permitirão que se criem as condições para a proteção e valorização do Abrigo do Lagar Velho.

"Extensas campanhas arqueológicas decorreram no Vale do Lapedo ao longo de vários anos, com a participação de arqueólogos da Direção-Geral do Património Cultural e organismos que lhe antecederam, bem como com a incansável colaboração do município. Este extenso processo culmina agora na plena possibilidade de concretização do projeto de salvaguarda e valorização integrada do Vale, que a aquisição dos terrenos por parte da autarquia e o financiamento do PRR vêm propiciar, no momento em que assinalamos 25 anos desta magnífica descoberta", afirma o ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva.

A aquisição dos terrenos por parte do Município de Leiria vem resolver um processo que se iniciou com a descoberta ocasional da sepultura em terrenos privados em 1998. Constitui, para já, um ponto de viragem, pois permite que as entidades públicas envolvidas definam, sem constrangimentos, um plano de trabalho com múltiplas valências e critérios bem definidos com vista à proteção e valorização do Vale e do Abrigo do Lagar Velho, locais de grande relevância e mundialmente referenciados.

Também no âmbito dos 25 anos da descoberta, foi recentemente publicado o livro "Criança do Lapedo - Uma proposta de viagem" (CML, 2023), que resultou da reflexão sobre o lugar por parte de um grupo de trabalho composto por Gonçalo Cadilhe, João Zilhão, Aurora Carapinha, Anabela Graça e António Carvalho, e da colaboração do Ministério da Cultura com a autarquia.

Recorde-se que, devido à sua importância, o Abrigo do Lagar Velho foi classificado como Monumento Nacional em 2013 - Decreto-Lei nº 17/2013 de 24 de junho (DR, 1ª Série, nº 119) -, o Vale do Lapedo como Zona Especial de Proteção (ZEP) pela Portaria n.º 630/2013 de 20 de setembro (DR, 2ª Série, nº 182) e a sepultura da criança, artefactos e ecofactos associados ao seu ritual fúnebre como "Bem de Interesse Nacional"/"Tesouro Nacional" pelo Decreto n.º 14/2021 em 7 de junho. A Criança do Lapedo foi ainda o primeiro esqueleto a ser considerado como "Tesouro Nacional", tendo o Museu Nacional de Arqueologia sido a instituição escolhida para a sua conservação permanente.
Áreas:
Cultura