Saltar para conteúdo

Notícias

2020-08-20 às 12h38

Investimento na saúde com reforço sem precedentes em 2020

Investimento no Centro Hospitalar de Gaia-Espinho, Gaia, 20 agosto 2020
O investimento na área da Saúde teve, em 2020, um reforço sem precedentes, com 941 milhões de euros no Orçamento do Estado e mais 504 milhões no Orçamento Suplementar, concretizando a prioridade do Programa do Governo.

Estas verbas têm possibilitado a concretização de projetos essenciais para reforçar a capacidade de resposta às necessidades de cuidados de saúde dos cidadãos, como o novo serviço de urgência e enfermaria do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia-Espinho, que o Primeiro-Ministro António Costa e a Ministra da Saúde, Marta Temido, visitaram. 

Aquisição de vacinas

António Costa disse que só no dia em que houver uma vacina «podemos dar esta crise por ultrapassada». A União Europeia «selecionou seis vacinas em desenvolvimento», nas quais considerou que «valia a pena investir no seu desenvolvimento, produção e aquisição».

Hoje, o Governo, num Conselho de Ministros eletrónico aprovou uma Resolução que define a participação do Estado Português na estratégia de vacinação europeia contra a Covid-19, autorizando a despesa «para a aquisição de um primeiro lote de 6,9 milhões de vacinas», a realizar em 2020. 

A Comissão Europeia tem promovido procedimentos de contratação centralizados em nome de todos os Estados da União Europeia. Foi também aprovado o modelo que atribui a cada país o direito de aquisição de vacinas, num determinado período e a um determinado custo, parcialmente financiados pelo Instrumento de Apoio de Emergência.

A Direção Geral de Saúde e o Infarmed vão, agora, com base na melhor base científica, identificar as populações-alvo prioritárias e organizar um processo «de vacinação progressiva, universal e gratuita», para quando houver vacina.

Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia-Espinho

O Primeiro-Ministro e a Ministra da Saúde visitaram o novo serviço de urgência e enfermaria do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia-Espinho, estando em fase final as obras da nova unidade de cuidados intensivos, cuja construção foi antecipada e que «já tem o material e equipamento», disse António Costa.

O Serviço de Urgência e a enfermaria constituem um investimento de 15 milhões de euros, sendo 13 em infraestruturas e dois milhões em equipamentos. O Serviço de Urgência tem capacidade para atendimento de 200 doentes em simultâneo e dispõe de equipamentos de ponta, como o novo Raio X multifunções. A enfermaria tem capacidade para 30 camas e 2 quartos de isolamento.

A nova Unidade de Cuidados Intensivos, cuja conclusão está prevista para o final do ano, vai aumentar a capacidade do centro hospitalar em 14 cama, representando um investimento de cerca de 3,4 milhões.

O investimento neste Centro Hospitalar continuará ainda com o aumento do bloco operatório e de vários serviços. 

Reforçar a resposta do SNS

O Primeiro-Ministro disse que estes investimentos são «um exemplo de vários projetos que estamos a lançar nos diferentes centros hospitalares» para reforçar o número e qualidade de camas de cuidados intensivos, numa política de «robustecer o Serviço Nacional de Saúde para responder ainda melhor».

A Ministra da Saúde, na sua intervenção, anunciou que o plano dedicado à infraestruturação do setor de Medicina Intensiva vai ser reforçado com 26 milhões de euros até ao final de 2020.

António Costa reiterou que «temos de desejar o melhor, mas temos de nos preparar para o pior», tanto mais que «os seres humanos adoecem mais no outono e no inverno do que na primavera e no verão», e não é possível voltar a tomar as medidas de confinamento que foram tomadas em março.

Apesar do seu esforço no tratamento de doentes com Covid-19, o Centro Hospitalar reforçou a sua atividade assistencial. Em julho e agosto, as primeiras consultas aumentaram mais de 10%, a cirurgia de ambulatória mais de 25%, e a cirurgia convencional quase 10%.