Saltar para conteúdo

Notícias

2021-04-30 às 12h33

Investimento de 50 milhões vai reabilitar mais 150 quilómetros de rios

Apresentação de projetos de reabilitação e valorização fluvial no âmbito do REACT EU
Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes discursa na assinatura protocolos para intervenções em onze bacias hidrográficas, no âmbito do programa REACT-EU, Coimbra, 30 abril 2021
O Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, afirmou que o Governo vai investir mais 50 milhões de euros em projetos de reabilitação e valorização fluvial, até 2023.

O Ministro discursava na cerimónia de apresentação e assinatura de protocolos entre a Agência Portuguesa do Ambiente e os 45 municípios de onze bacias hidrográficas, no âmbito do REACT-EU, Assistência para a Coesão e os Territórios da Europa, que foi presidida pelo Primeiro-Ministro António Costa, em Coimbra.

«Nestes rios, o padrão das intervenções será sempre o da utilização dos métodos de engenharia natural, arte na qual Portugal vai sendo conhecido no mundo e a razão pela qual é um dos líderes da coligação Nature Based Solutions das Nações Unidas», disse Matos Fernandes.

Os 50 milhões de euros a investir nos próximos três anos em intervenções em 150 quilómetros de rios, acrescem aos 116 milhões de euros que já foram investidos na reabilitação de 1450 quilómetros de rios e ribeiras desde 2017.

O Ministro disse que este investimento foi possível devido a uma «vontade política que reconhece a relevância ambiental, económica e social destas intervenções», através de um «compromisso com o poder local e de alocação dos meios financeiros necessários, de que o REACT-EU é um bom exemplo».

Matos Fernandes salientou que os trabalhos de despoluição, reabilitação e valorização fluvial têm dado bons resultados, salientando que Portugal tem este ano 372 bandeiras azuis, quando há 20 anos tinha 65.

«Destas 372 praias, 42 são fluviais. Somos o segundo país do mundo em número absoluto com mais bandeiras azuis em praias fluviais, o que significa que Portugal tem feito um grande trabalho», disse.