Saltar para conteúdo

Notícias

2020-10-09 às 15h49

Governo vai investir 4,5 milhões de euros na GNR no distrito de Castelo Branco

Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, na inauguração do Posto Territorial da GNR de Cebolais de Cima, Castelo Branco, 9 outubro 2020
O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, afirmou que o programa de investimentos ao abrigo da Lei de Programação das Infraestruturas e Equipamentos para as Forças e Serviço de Segurança tem previstos 4,5 milhões de euros para a GNR no distrito de Castelo Branco.

Na inauguração das novas instalações dos Postos Territoriais de Cebolais de Cima (Castelo Branco) e de Alpedrinha (Fundão), o Ministro salientou que «o programa de investimentos inclui diversas intervenções em Castelo Branco».

«Várias já foram realizadas e temos previstas para além das duas de hoje, que vamos colocar à disposição das populações, no Fundão, Covilhã e Vila Velha de Ródão. Isto é, há um programa plurianual de investimentos e estou a referir só em relação à GNR, cerca de 4,5 milhões de euros de investimento previsto em instalações no distrito de Castelo Branco», acrescentou.

Eduardo Cabrita referiu que foi o programa de investimentos, de 2017 a 2021, que permitiu «com custos mais baixos, adquirir para as forças de segurança cerca de 2500 viaturas». «Iremos conclui este programa até ao final de 2021. Já há mais de mil viaturas novas na GNR», disse.

O Governo vai apresentar até junho de 2021 o plano de investimentos para o período entre 2022 e 2026.

Forças de Segurança vão receber 114 milhões de euros em retroativos

Eduardo Cabrita afirmou também que o Governo vai proceder ao pagamento de cerca de 114 milhões de euros em retroativos às forças de segurança, considerando que é «um pagamento justo por aquilo que fizeram pelo País».

Em agosto, o Governo pagou já os suplementos devidos entre 2011 e 2019, num valor total de 14 milhões de euros, e também já procedeu ao desbloqueamento de promoções, que decorem consecutivamente há três anos.

«Este ano, recentemente, foram realizadas mais de 500 promoções. Desde que foi decidido em 2018 o descongelamento de carreiras, permitiram já à esmagadora maioria dos militares terem uma evolução remuneratória», referiu.